sicnot

Perfil

Brexit

Rainha de Inglaterra sublinha que é importante manter a calma perante os desafios

Rainha de Inglaterra sublinha que é importante manter a calma perante os desafios

A Rainha de Inglaterra inaugurou hoje a nova legislatura do parlamento da Escócia. Uma semana depois do referendo que ditou a saída britânica da União Europeia e a demissão de David Cameron, Isabel II destacou a importância de manter a calma perante os novos desafios.

Na sua intervenção, a soberana britânica, de 90 anos, disse aos membros do parlamento de Holyrood, em Edimburgo, que o mundo é cada vez mais "complexo e exigente" e que os acontecimentos dos dias de hoje se desenvolvem a uma "velocidade extraordinária".

Isabel II inaugurou a sessão dias depois de os britânicos votarem a favor da saída da União Europeia ("Brexit") num referendo a 23 de junho, o que provocou uma crise política com o anúncio da demissão do primeiro-ministro, David Cameron.

A rainha, acompanhada pela líder do governo escocês, Nicola Sturgeon, destacou que os tempos atuais trazem "esperança".

"Claro que todos vivemos e trabalhamos num mundo cada vez mais complexo e exigente, no qual os acontecimentos e os desenvolvimentos podem e têm lugar a uma velocidade extraordinária, e ter a capacidade para conservar a calma e estarmos serenos pode ser às vezes duro", admitiu a chefe de Estado britânica.

A soberana destacou também a necessidade de pensar as coisas com serenidade, a fim de observar como os "desafios e as oportunidades" podem ser abordados da melhor maneira.

A intervenção de Isabel II coincide com momentos difíceis na Escócia, depois de a região votar a favor da permanência na UE.

Na sequência deste resultado, Nicola Sturgeon indicou que fará todo o possível para defender os interesses da Escócia na UE e não descartou a possibilidade de convocar outro referendo de independência, depois do de 2014, no qual os escoceses rejeitaram a separação do Reino Unido.

Sturgeon destacou hoje no parlamento escocês a importância de que os membros desta sessão legislativa mostrem "coragem e determinação" para ajudar os escoceses.

"O nosso compromisso coletivo para com o povo da Escócia é o de que não devemos fugir de nenhum dos desafios que enfrentamos, sem importar quão difíceis ou profundos sejam", acrescentou.

Ao mesmo tempo, a líder independentista sublinhou que o dever do parlamento é "nunca diminuir o nosso lugar no mundo", em clara referencia ao vínculo com o bloco comunitário.

"Hoje, ao celebrar um novo começo (legislativo), olhemos com esperança (...) para trabalhar sem descanso pelo bem de todos os escoceses e, ao fazê-lo, ter a nossa participação numa Europa mais forte e num mundo melhor", acrescentou.

Com Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.