sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Líder do Partido da Independência do Reino Unido anuncia demissão

O eurocético Nigel Farage anunciou hoje que se vai demitir da liderança do Partido da Independência do Reino Unido. Em declarações aos jornalistas, o fervoroso apoiante do Brexit disse que já cumpriu o que tinha a fazer e que não é um político de carreira.

Nigel Farage liderou a campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia.

Nigel Farage liderou a campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia.

"O meu objetivo de sair da UE foi atingido (...) completei a minha missão", declarou em conferência de imprensa, adiantando que se demitia da liderança do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP).

Nigel Farage pronunciou-se também sobre o tema da imigração e pediu mais calma e tranquilidade.

O líder eurocético vai manter, contudo, o seu cargo como eurodeputado. Farage afirmou que faz questão de acompanhar no Parlamento Europeu as negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, decidida no referendo de 23 de junho.

"Durante a campanha do referendo, declarei que queria recuperar o meu país. Agora, digo que quero recuperar a minha vida", disse ainda.

Nigel Farage, de 52 anos e um dos fundadores do UKIP em 1993, já se tinha demitido da liderança do partido em 2009, devido a lutas internas no partido, e depois em 2015, por não conseguir ser eleito deputado, mas em ambas as ocasiões acabou por decidir ficar.

Hoje, insistiu: "não mudarei de ideias outra vez, prometo-vos".

"Vim do mundo dos negócios [foi corretor] porque pensava que o nosso país se devia autogovernar. Nunca fui e nunca desejei ser um homem político de carreira", declarou.

"Vou continuar a apoiar o partido, a apoiar o seu novo líder, vou observar de perto o processo de negociações em Bruxelas e intervir ocasionalmente no Parlamento Europeu", adiantou.

Nigel Farage considerou que o seu partido poderá ainda "conhecer dias melhores" se o próximo governo não mantiver os compromissos ligados ao Brexit.

Cáustico, qualificado de racista por alguns, Farage falhou seis vezes a eleição para o Parlamento britânico, mas está desde 1999 no Parlamento Europeu, tendo dedicado a carreira a denegrir as instituições europeias.

Com Lusa

  • "O objetivo de sair da UE foi atingido, completei a minha missão"
    0:51

    Brexit

    O líder do Partido para a Independência do Reino Unido demitiu-se. A decisão foi confirmada esta manhã pelo próprio Nigel Farage, um dos rostos da defesa do Brexit. O político diz que, com o resultado do referendo, cumpriu o principal objetivo a que se tinha proposto e, por isso, já pode abandonar o cargo.

  • "Porque está aqui?", diz Juncker a Farage no Parlamento Europeu
    0:53

    Brexit

    Jean-Claude Juncker voltou a lamentar o resultado do referendo no Reino Unido, mas sublinha que é preciso respeitar a vontade expressa pelo povo e insiste que o governo britânico deve ativar o artigo 50 o quanto antes. O presidente da Comissão Europeia confrontou hoje os eurodeputadas britânicos que defenderam o Brexit. Após a participação do líder do Partido da Independência do Reino Unido, Nigel Farage, Juncker perguntou-lhe o que estava a fazer no Parlamento Europeu.

  • E agora, como vai ser?

    Brexit

    Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair da UE, depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a sua demissão com efeitos em outubro. E agora, como vai ser? Fica aqui as perguntas e respostas sobre o impacto do referendo no Reino Unido.

  • O Reino Unido dividiu-se na votação do Brexit
    1:44

    Brexit

    Apesar do nome o Reino Unido esteve dividido na votação. Inglaterra e País de Gales queriam sair, mas a Irlanda do Norte e Escócia não. No caso da Escócia, o país volta a pedir um referendo para sua independência.

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC