sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Líder do Partido da Independência do Reino Unido anuncia demissão

O eurocético Nigel Farage anunciou hoje que se vai demitir da liderança do Partido da Independência do Reino Unido. Em declarações aos jornalistas, o fervoroso apoiante do Brexit disse que já cumpriu o que tinha a fazer e que não é um político de carreira.

Nigel Farage liderou a campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia.

Nigel Farage liderou a campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia.

"O meu objetivo de sair da UE foi atingido (...) completei a minha missão", declarou em conferência de imprensa, adiantando que se demitia da liderança do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP).

Nigel Farage pronunciou-se também sobre o tema da imigração e pediu mais calma e tranquilidade.

O líder eurocético vai manter, contudo, o seu cargo como eurodeputado. Farage afirmou que faz questão de acompanhar no Parlamento Europeu as negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, decidida no referendo de 23 de junho.

"Durante a campanha do referendo, declarei que queria recuperar o meu país. Agora, digo que quero recuperar a minha vida", disse ainda.

Nigel Farage, de 52 anos e um dos fundadores do UKIP em 1993, já se tinha demitido da liderança do partido em 2009, devido a lutas internas no partido, e depois em 2015, por não conseguir ser eleito deputado, mas em ambas as ocasiões acabou por decidir ficar.

Hoje, insistiu: "não mudarei de ideias outra vez, prometo-vos".

"Vim do mundo dos negócios [foi corretor] porque pensava que o nosso país se devia autogovernar. Nunca fui e nunca desejei ser um homem político de carreira", declarou.

"Vou continuar a apoiar o partido, a apoiar o seu novo líder, vou observar de perto o processo de negociações em Bruxelas e intervir ocasionalmente no Parlamento Europeu", adiantou.

Nigel Farage considerou que o seu partido poderá ainda "conhecer dias melhores" se o próximo governo não mantiver os compromissos ligados ao Brexit.

Cáustico, qualificado de racista por alguns, Farage falhou seis vezes a eleição para o Parlamento britânico, mas está desde 1999 no Parlamento Europeu, tendo dedicado a carreira a denegrir as instituições europeias.

Com Lusa

  • "O objetivo de sair da UE foi atingido, completei a minha missão"
    0:51

    Brexit

    O líder do Partido para a Independência do Reino Unido demitiu-se. A decisão foi confirmada esta manhã pelo próprio Nigel Farage, um dos rostos da defesa do Brexit. O político diz que, com o resultado do referendo, cumpriu o principal objetivo a que se tinha proposto e, por isso, já pode abandonar o cargo.

  • "Porque está aqui?", diz Juncker a Farage no Parlamento Europeu
    0:53

    Brexit

    Jean-Claude Juncker voltou a lamentar o resultado do referendo no Reino Unido, mas sublinha que é preciso respeitar a vontade expressa pelo povo e insiste que o governo britânico deve ativar o artigo 50 o quanto antes. O presidente da Comissão Europeia confrontou hoje os eurodeputadas britânicos que defenderam o Brexit. Após a participação do líder do Partido da Independência do Reino Unido, Nigel Farage, Juncker perguntou-lhe o que estava a fazer no Parlamento Europeu.

  • E agora, como vai ser?

    Brexit

    Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair da UE, depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a sua demissão com efeitos em outubro. E agora, como vai ser? Fica aqui as perguntas e respostas sobre o impacto do referendo no Reino Unido.

  • O Reino Unido dividiu-se na votação do Brexit
    1:44

    Brexit

    Apesar do nome o Reino Unido esteve dividido na votação. Inglaterra e País de Gales queriam sair, mas a Irlanda do Norte e Escócia não. No caso da Escócia, o país volta a pedir um referendo para sua independência.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.