sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Theresa May quer restrições à migração da UE para o Reino Unido

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou hoje estar comprometida a obter restrições à migração da União Europeia nas suas negociações para a saída do Reino Unido do bloco europeu.

© Stefanie Loos / Reuters

"A mensagem que o povo britânico deu no seu voto para o Reino Unido sair da União Europeia é muito clara e devemos introduzir algum controlo ao movimento de pessoas provenientes da União Europeia para o Reino Unido", afirmou a c, em conferência de imprensa conjunta com o Presidente francês, François Hollande.

Theresa May deslocou-se hoje a Paris, depois de quarta-feira ter estado em Berlim, onde se reuniu com a chanceler alemã, Angela Merkel.

O chefe de Estado francês, François Hollande, afirmou que o Reino Unido vai ter de escolher entre permitir a livre circulação de europeus no Reino Unido ou comércio restringido com a União Europeia.

"É o ponto mais crucial. Os britânicos têm de escolher ficar no mercado único e aceitar a livre circulação de pessoas ou ter outro estatuto", afirmou o Presidente.

No encontro, François Hollande acordou dar tempo ao Reino Unido para preparar a separação da União Europeia, mas "quanto mais cedo, melhor".

Os britânicos "precisam de tempo" para invocar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa e preparar as negociações que se iniciam a partir daquele momento e que devem durar no máximo dois anos.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15