sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Saída do Reino Unido "reforça incertezas" para a economia mundial

© Paul Hackett / Reuters

A decisão do Reino Unido de sair da União Europeia (UE) "reforça as incertezas" para a economia mundial, referiram hoje os ministros das Finanças das maiores economias do mundo (G20), reunidos em Chengdu, na China.

No entanto, os ministros e os governadores dos bancos centrais do G20, quiseram deixar uma mensagem positiva, considerando que os países da UE "estão bem posicionados" para enfrentar "de forma dinâmica" as eventuais repercussões económicas e financeiras do 'Brexit', segundo o comunicado final da reunião.

Os responsáveis manifestaram dúvidas em relação à forma como Londres e a Europa se vão separar, com o governador do Banco do Japão a considerar que se trata de um assunto "importante na ordem do dia".

O Fundo Monetário Internacional (FMI) baixou na terça-feira as suas previsões de crescimento mundial para 2016 e 2017, avisando que as incertezas prolongadas em relação ao Brexit podem gerar uma descida ainda mais acentuada.

"O essencial do Brexit ainda está por acontecer e repercussões ainda mais negativas são uma clara possibilidade", referiu o FMI na reunião do G20.

Além do caso britânico, "persistem fortes riscos (...) a volatilidade financeira continua elevada e os conflitos geopolíticos, o terrorismo e o fluxo de migrantes continuam a afetar as economias", refere-se no comunicado do G20, que fala numa retoma "mais fraca que o esperado".

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.