sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Rendas baixam em Londres pela primeira vez desde 2010

Os arrendamentos com novos contratos em Londres baixaram em julho pela primeira vez desde novembro de 2010, indica um estudo realizado após a decisão britânica de deixar a União Europeia (UE).

No estudo publicado esta segunda-feira, o grupo Countrywide destacou uma redução de 0,5% nos alugueres com novos contratos na capital britânica em julho, em comparação com o mesmo mês de 2015.

Johnny Morris, diretor de pesquisas do Countrywide, explicou que foram disponibilizadas novas casas no mercado nos últimos meses, o que fez com que os preços baixassem.

No plano nacional, os arrendamentos novos registaram, pelo contrário, uma subida de 1,5% de um ano para o outro.

A decisão britânica de deixar a União Europeia ('Brexit') levou a uma vaga de preocupação no mercado imobiliário no Reino Unido, particularmente em Londres, depois do crescimento dos últimos anos.

O preço médio de uma casa vendida em Londres é de cerca de 619.400 libras (716.500 euros), indica o estudo.

Os preços aumentaram nos últimos anos devido à tendência das classes mais altas para investir em imóveis e por um afluxo de investidores provenientes do Golfo Pérsico e da Rússia.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.