sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Primeira-ministra britânica garante que não vai convocar segundo referendo

© POOL New / Reuters

A primeira-ministra britânica, Theresa May, assegurou esta quarta-feira que não vai convocar um segundo referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia, na primeira reunião do governo após o verão, consagrada ao Brexit.

A líder conservadora reuniu-se com os seus ministros na residência oficial de campo de Chequers Court, nos arredores de Londres, antes do recomeço dos trabalhos parlamentares, na próxima semana.

Durante a reunião, May insistiu que "Brexit significa Brexit" e que "não haverá um segundo referendo" nem será admitida qualquer tentativa de manter o Reino Unido na UE pela "porta das traseiras".

O Reino Unido votou pela saída da UE no referendo realizado a 23 de junho, forçando a demissão do primeiro-ministro David Cameron e a sua substituição por Theresa May, até então ministra do Interior.

"Vamos ver os próximos passos que temos de dar e as oportunidades que se nos apresentam, enquanto forjamos um novo papel do Reino Unido no mundo", disse May aos ministros no início da reunião, cujos minutos iniciais foram abertos à imprensa.

"Temos de continuar a ser muito claros, Brexit significa Brexit e faremos com que seja um êxito", disse.

Theresa May repetiu que não tenciona ativar em 2016 o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que inicia o processo de dois anos de negociações dos termos de saída da União.

A primeira-ministra reconheceu que o processo coloca desafios e que o país vive momentos "importantes e significativos" até que esteja definida a sua relação com os países europeus após a saída.

Segundo a imprensa britânica, o governo está dividido quanto à futura relação do Reino Unido com a UE, com alguns ministros a defenderem a necessidade de manter o acesso ao mercado único, como o ministro das Finanças, Philip Hammond, e outros a descartá-la.

Entre os ministros que participaram na reunião desta quarta-feira figuram três dos políticos que se destacaram na defesa do Brexit: o ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, o do Comércio Externo, Liam Fox, e o chamado ministro do Brexit, David Davis.

A imprensa britânica noticiou que Johnson, Fox e Davis se reuniram na semana passada para uma conversa privada sobre as divergências no seio do governo acerca da relação futura com a UE.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.