sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Primeira-ministra britânica garante que não vai convocar segundo referendo

© POOL New / Reuters

A primeira-ministra britânica, Theresa May, assegurou esta quarta-feira que não vai convocar um segundo referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia, na primeira reunião do governo após o verão, consagrada ao Brexit.

A líder conservadora reuniu-se com os seus ministros na residência oficial de campo de Chequers Court, nos arredores de Londres, antes do recomeço dos trabalhos parlamentares, na próxima semana.

Durante a reunião, May insistiu que "Brexit significa Brexit" e que "não haverá um segundo referendo" nem será admitida qualquer tentativa de manter o Reino Unido na UE pela "porta das traseiras".

O Reino Unido votou pela saída da UE no referendo realizado a 23 de junho, forçando a demissão do primeiro-ministro David Cameron e a sua substituição por Theresa May, até então ministra do Interior.

"Vamos ver os próximos passos que temos de dar e as oportunidades que se nos apresentam, enquanto forjamos um novo papel do Reino Unido no mundo", disse May aos ministros no início da reunião, cujos minutos iniciais foram abertos à imprensa.

"Temos de continuar a ser muito claros, Brexit significa Brexit e faremos com que seja um êxito", disse.

Theresa May repetiu que não tenciona ativar em 2016 o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que inicia o processo de dois anos de negociações dos termos de saída da União.

A primeira-ministra reconheceu que o processo coloca desafios e que o país vive momentos "importantes e significativos" até que esteja definida a sua relação com os países europeus após a saída.

Segundo a imprensa britânica, o governo está dividido quanto à futura relação do Reino Unido com a UE, com alguns ministros a defenderem a necessidade de manter o acesso ao mercado único, como o ministro das Finanças, Philip Hammond, e outros a descartá-la.

Entre os ministros que participaram na reunião desta quarta-feira figuram três dos políticos que se destacaram na defesa do Brexit: o ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, o do Comércio Externo, Liam Fox, e o chamado ministro do Brexit, David Davis.

A imprensa britânica noticiou que Johnson, Fox e Davis se reuniram na semana passada para uma conversa privada sobre as divergências no seio do governo acerca da relação futura com a UE.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47