sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Boris Johnson apoia nova campanha para impulsionar saída do Reino Unido da UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, apoia a campanha hoje lançada para pressionar o Governo para acelerar o Brexit, a saída do país da União Europeia (UE).

Johnson, que defendeu o fim da pertença ao projeto europeu no referendo de 23 de junho, expressou em vídeo o seu respaldo ao grupo "Mudar o Reino Unido", encabeçado pelo deputado trabalhista Gisela Stuart e em que participam membros da campanha "vote para sair", prévia ao plebiscito.

Na sua mensagem, o chefe do Ministério dos Negócios Estrangeiros insta tanto os apoiantes e os opositores do 'Brexit' a trabalharem em conjunto "para aproveitarem a oportunidade que este país tem agora de forjar novas e excitantes relações com a UE e com o resto do mundo", de modo a que o Reino Unido volte a ganhar o "controlo sobre as leis, as fronteiras, dinheiro e comércio."

A votação para deixar a UE oferece a oportunidade de "rever as estruturas democráticas e constitucionais", pois "grande parte do Reino Unido perdeu a fé em partidos políticos e na elite Westminster", afirmou Boris Johnson.

Da mesma forma, num artigo no The Sunday Telegraph, o ex-ministro conservador John Whittingdale, que prescindiu de estar no Governo da atual primeira-ministra, Theresa May, instou também à aceleração do processo de negociações com Bruxelas.

"Devemos iniciar o processo formal. Não estou a dizer que tem que acontecer amanhã, mas gostaria de ver acontecer em breve, e com isso quero dizer semanas, não meses", acrescentou.

Políticos partidários do 'Brexit' aumentaram nos últimos dias a pressão sobre May -- que em referendo apoiou a permanência do Reino Unido na UE, ainda que com reservas -, que já disse que não pensa ativar até ao início de 2017 o artigo 50 do Tratado da União Europeia, que prevê a saída de um Estado-membro.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.