sicnot

Perfil

Brexit

Diane James sucede a Nigel Farage

Diane James sucede a Nigel Farage

O UKIP, o partido da independência do Reino Unido escolheu Diane James como sucessora de Nigel Farage. No seu primeiro discurso, a líder eleita prometeu continuar a mesma linha do antecessor.

  • Nigel Farage é o novo apoio dos republicanos na corrida à Casa Branca
    1:54

    Eleições EUA

    Nigel Farage, ex-líder do Partido para a Independência do Reino Unido, é o novo apoio dos republicanos na corrida à Casa Branca. Participou esta madrugada na ação de campanha de Donald Trump, no Mississipi e apelou à unidade dos republicanos. O antigo líder do partido xenófobo e anti-imigração britânico desvalorizou as sondagens, relembrando o que aconteceu em junho, com a vitória do Brexit.

  • Demissão de Farage em análise
    5:05

    Opinião

    Cândida Pinto esteve em estúdio para comentar a saída de Nigel Farage da liderança do governo. Esta é uma das consequências do Brexit na política britânica.

  • "O objetivo de sair da UE foi atingido, completei a minha missão"
    0:51

    Brexit

    O líder do Partido para a Independência do Reino Unido demitiu-se. A decisão foi confirmada esta manhã pelo próprio Nigel Farage, um dos rostos da defesa do Brexit. O político diz que, com o resultado do referendo, cumpriu o principal objetivo a que se tinha proposto e, por isso, já pode abandonar o cargo.

  • Bruno de Carvalho garante empenho do Sporting
    0:52

    Desporto

    Bruno de Carvalho diz que o Sporting continua empenhado apesar do momento que o clube atravessa. O presidente leonino discursou ao início da tarde no núcleo Leões da Madeira, no Funchal, onde o Sporting joga hoje com o Marítimo.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.