sicnot

Perfil

Brexit

Diane James sucede a Nigel Farage

Diane James sucede a Nigel Farage

O UKIP, o partido da independência do Reino Unido escolheu Diane James como sucessora de Nigel Farage. No seu primeiro discurso, a líder eleita prometeu continuar a mesma linha do antecessor.

  • Nigel Farage é o novo apoio dos republicanos na corrida à Casa Branca
    1:54

    Eleições EUA

    Nigel Farage, ex-líder do Partido para a Independência do Reino Unido, é o novo apoio dos republicanos na corrida à Casa Branca. Participou esta madrugada na ação de campanha de Donald Trump, no Mississipi e apelou à unidade dos republicanos. O antigo líder do partido xenófobo e anti-imigração britânico desvalorizou as sondagens, relembrando o que aconteceu em junho, com a vitória do Brexit.

  • Demissão de Farage em análise
    5:05

    Opinião

    Cândida Pinto esteve em estúdio para comentar a saída de Nigel Farage da liderança do governo. Esta é uma das consequências do Brexit na política britânica.

  • "O objetivo de sair da UE foi atingido, completei a minha missão"
    0:51

    Brexit

    O líder do Partido para a Independência do Reino Unido demitiu-se. A decisão foi confirmada esta manhã pelo próprio Nigel Farage, um dos rostos da defesa do Brexit. O político diz que, com o resultado do referendo, cumpriu o principal objetivo a que se tinha proposto e, por isso, já pode abandonar o cargo.

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.