sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Cineasta Ken Loach diz que trabalhadores britânicos vão pagar o preço pelo Brexit

O cineasta britânico Ken Loach considerou esta sexta-feira que o Brexit vai originar um golpe nos salários dos trabalhadores britânicos, que vão "pagar o preço" da saída do país da União Europeia (UE), referiu num encontro com jornalistas em Paris.

© Reuters Photographer / Reuter

"Parece-me que muitas empresas vão partir porque vão querer estar na União Europeia e ter acesso a esse mercado", explicou o cineasta de esquerda, que apresentou em Paris "Eu, Daniel Blake", Palma de Ouro no último Festival de Cannes.

"Os homens políticos britânicos querem atrair outros investimentos à Grã-Bretanha para os substituir. A única forma de o poderem fazer é através de uma mão-de-obra barata. Assim, o desemprego vai de novo fazer descer o valor do trabalho", disse. E citou Lenine: "A classe dirigente pode sobreviver a todas as crises, se a classe operária pagar o preço".

Ken Loach apelou ao voto pela permanência na UE no referendo de 23 de junho, apesar de propor uma "Europa diferente" do atual "projeto neoliberal".

O realizador de 80 anos considerou ainda que o 'Brexit' foi uma "má notícia" para o cinema britânico, porque o priva das ajudas europeias e atinge os acordos de coprodução, que "dependem sobretudo da livre-circulação dos trabalhadores".

"O problema dos filmes britânicos, é que olham para o outro lado do Atlântico e não para o outro lado da Mancha. Isso vai piorar", disse.

Para o realizador de "Land and Freedom", a primeira-ministra britânica Theresa May "prossegue a mesmo política que (o seu antecessor David) Cameron", e sublinhou ter esperança no chefe do partido trabalhista Jeremy Corbyn, da ala mais à esquerda e reeleito em setembro com 61,8% dos votos dos filiados, e "graças a quem 400.000 novos aderentes se juntaram ao Labour".

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.