sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Delegação da City de Londres em Bruxelas com plano secreto para o pós-Brexit

Uma delegação da City de Londres viaja esta semana a Bruxelas com um plano secreto para conseguir um acordo de comércio livre para o setor financeiro depois do Brexit, informa hoje o diário Financial Times (FT).

A delegação, encabeçada pelo ex-vice-ministro do Trabalho conservador britânico Mark Hoban, é independente do governo e organizou-se devido aos problemas que poderão enfrentar os empregadores se se virem obrigados a levar as suas operações para a Euopa continental uma vez concretizada a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), prevista para março de 2019, indica o FT.

As empresas financeiras utilizaram durante anos a City de Londres como base de operações ao aplicar-se o princípio de uma legislação única para vender os seus serviços.

Contudo, os líderes empresariais estão nervosos perante a possibilidade de que a data de março de 2019 para a saída do Reino Unido da UE ocorra antes de se chegar a um acordo para reter um fácil acesso aos mercados comunitários, indica o FT, que não especifica com quem se reunirá a delegação em Bruxelas.

Os bancos estão especialmente inquietos com a possibilidade de transferir milhares de empregos para centros financeiros como Frankfurt ou Dublin.

O FT sublinha que um estudo da Associação de Mercados Financeiros na Europa estimou que as entidades de crédito com sede no Reino Unido podem enfrentar gastos de reestruturação no valor de 15.000 milhões de euros devido ao 'Brexit'.

O Reino Unido começou em 19 de junho último as negociações formais sobre a saída do país da UE, dias depois da primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, ter perdido a maioria absoluta nas eleições gerais antecipadas realizadas em 08 de junho.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01