Brexit

Delegação da City de Londres em Bruxelas com plano secreto para o pós-Brexit

Uma delegação da City de Londres viaja esta semana a Bruxelas com um plano secreto para conseguir um acordo de comércio livre para o setor financeiro depois do Brexit, informa hoje o diário Financial Times (FT).

A delegação, encabeçada pelo ex-vice-ministro do Trabalho conservador britânico Mark Hoban, é independente do governo e organizou-se devido aos problemas que poderão enfrentar os empregadores se se virem obrigados a levar as suas operações para a Euopa continental uma vez concretizada a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), prevista para março de 2019, indica o FT.

As empresas financeiras utilizaram durante anos a City de Londres como base de operações ao aplicar-se o princípio de uma legislação única para vender os seus serviços.

Contudo, os líderes empresariais estão nervosos perante a possibilidade de que a data de março de 2019 para a saída do Reino Unido da UE ocorra antes de se chegar a um acordo para reter um fácil acesso aos mercados comunitários, indica o FT, que não especifica com quem se reunirá a delegação em Bruxelas.

Os bancos estão especialmente inquietos com a possibilidade de transferir milhares de empregos para centros financeiros como Frankfurt ou Dublin.

O FT sublinha que um estudo da Associação de Mercados Financeiros na Europa estimou que as entidades de crédito com sede no Reino Unido podem enfrentar gastos de reestruturação no valor de 15.000 milhões de euros devido ao 'Brexit'.

O Reino Unido começou em 19 de junho último as negociações formais sobre a saída do país da UE, dias depois da primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, ter perdido a maioria absoluta nas eleições gerais antecipadas realizadas em 08 de junho.

Lusa

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 4: Os maratonistas
    33:52
  • O verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo das pistolas
    0:50

    Assalto em Tancos

    O general Leonel de Carvalho associa o roubo em Tancos ao desaparecimento de 57 armas da PSP de Lisboa, em fevereiro do ano passado. O antigo secretário geral do Gabinete coordenador de Segurança considera ainda que o verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo dessas pistolas e não no alegado desaparecimento de algumas granadas e outro material explosivo de pouca capacidade.

  • "Aquilo parecia um filme de terror"
    1:40

    Crise no Sporting

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Benfica promete queixa-crime contra quem divulgou contratos de Castillo e Ferreyra
    1:26

    Desporto

    Um blog divulgou na internet os valores dos contratos de dois dos reforços do Benfica, Castillo e Ferreyra. O clube da Luz promete agir judicialmente contra quem divulgou estas informações. A SIC sabe que devido à gravidade dos factos a Liga de Clubes está a considerar suspender os funcionários da instituição até que este caso seja esclarecido.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52
  • Donald Trump envolvido em mais uma polémica
    1:49
  • 20 quilómetros até ao trabalho valeu um carro

    Mundo

    Quando o carro de Walter Carr deixou de funcionar um dia antes do primeiro dia de trabalho numa empresa de mudanças, ele não desistiu nem ligou a dizer que ia faltar. Saiu de casa à meia-noite e fez mais de 20 quilómetros a pé para chegar a horas. No final recebeu uma recompensa.

    SIC