sicnot

Perfil

Benfica tricampeão

Benfica tricampeão

Benfica Tricampeão

Adeptos benfiquistas em Ponta Delgada concentram festejos nas Portas da Cidade

Centenas de pessoas concentraram-se hoje em Ponta Delgada nas Portas da Cidade, onde fizeram parar o trânsito na avenida marginal, para comemorar a conquista do tricampeonato nacional de futebol pelo Benfica.

© Reuters Staff / Reuters

A baixa da cidade de Ponta Delgada estava praticamente deserta mas poucos minutos depois de ter terminado o jogo, em que o Benfica venceu o Nacional da Madeira por 4-1, houve uma invasão de adeptos e carros decorados de vermelho e branco junto às Portas da Cidade, o "ex-libris" da cidade açoriana.

Centenas de adeptos, vestidos a rigor com cachecóis e camisolas do Benfica e munidos de bandeiras do clube entoavam em uníssono vários cânticos onde o mais ouvido foi "campeões, campeões, nós somos campeões".

Na marginal de Ponta Delgada foram vários os veículos obrigados a parar junto às Portas da Cidade devido à concentração de adeptos, como foi o caso de Paulo Ferreira, de 48 anos, ao volante de uma carrinha lotada com a família para festejar o 35.º campeonato nacional do Benfica.

"É uma família benfiquista. Aqui não há ninguém do Sporting ou do FC Porto. Somos todos do Benfica, eu, a minha mulher e as minhas três filhas e também os meus netos", assumiu Paulo Ferreira admitindo que sonha um dia ir ao Estádio da Luz.

Entre a "mancha" vermelha e branca está Vasco Anselmo, de 16 anos de idade, com um cachecol do Sporting ao pescoço confessa que foi "arrastado" para a festa benfiquista na cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

"Vim acompanhar as minhas tias (...) Eu não estou triste, para mim o Benfica não foi campeão, o Sporting é que perdeu o campeonato. O Benfica não merecia este título porque fez uma época mais irregular que o Sporting (...) Gostava de ver o Sporting campeão, talvez para o ano?", disse o jovem adepto do Sporting.

No meio dos festejos, há quem aproveite para fazer negócio, como é o caso do madeirense Rafael França, que está pela primeira vez nos Açores e que aceitou ajudar um amigo para vender cachecóis do Benfica a 10 euros cada.

"Quero ver se vendo isto tudo e me vou embora para casa festejar, na Madeira sei que vendia tudo num instante, agora aqui não sei, vou esperar que cheguem mais adeptos", disse.

Também David Pontes espera vender todo o "stock" de pipocas e pacotes de batatas fritas que traz numa cesta ao ombro e como adepto benfiquista afirma que é "um orgulho" estar a trabalhar num dia como este.

"O ano passado foi bom, vamos ver este ano como o negócio corre. Costumo vender em jogos de futebol e sendo hoje a festa do Benfica ainda melhor (...) Eu não sou simpatizante do Benfica, sou maluco pelo Benfica", afirmou.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".