sicnot

Perfil

Caso Bial

Caso Bial

Caso Bial

Morreu um dos voluntários do ensaio clínico da Bial

O voluntário que estava em estado de morte cerebral que participou num ensaio clínico em França da farmacêutica portuguesa Bial morreu hoje, de acordo com a agência France PResse que cita fonte do hospital de Rennes.

© Stephane Mahe / Reuters

"O paciente em estado morte cerebral morreu ao meio-dia", disse o hospital em comunicado.

Quanto aos outros cinco voluntários internados na sequência do ensaio clínico, o seu estado "permanece estável", acrescentou a mesma fonte.

Na sexta-feira, o diretor de neurologia do hospital de Rennes já tinha dito que três dos homens estavam com problemas neurológicos que podiam ser irreversíveis.

A semana passada, seis voluntários entre os 28 e os 49 anos foram hospitalizados na cidade francesa de Rennes, depois de terem participado num ensaio de medicamentos analgésicos conduzida por um laboratório privado para a farmacêutica portuguesa BIAL.

O ensaio clínico de Fase 1 testava um novo medicamento destinado a tratar perturbações de humor como a ansiedade.

No ensaio participaram no total 108 voluntários, 90 dos quais receberam a droga, enquanto os restantes tomaram placebos.

Os seis homens que foram internados foram o grupo que recebeu a dose mais elevada, segundo a France Presse.

Quando foi conhecido este incidente, o pior deste tipo que já aconteceu em França, a Bial garantiu que estava a acompanhar de perto todos os doentes, dando conta de que o ensaio com humanos daquele medicamento com um composto experimental estava a decorrer desde junho de 2015.

A farmacêutica vincou ainda que o ensaio foi aprovado pelas autoridades francesas, bem como pela comissão de ética em França, e está de acordo com a legislação que enquadra os ensaios clínicos.

  • Vítimas de ensaio da Bial com lesões cerebrais irreversíveis
    1:59

    Caso Bial

    As cinco vitimas do ensaio clínico da Bial e França vão receber uma indemnização, já que os ensaios têm um seguro de responsabilidade civil obrigatório para os voluntários que participam nestes testes. As cinco pessoas continuam em estado grave e os medicos garantem que as lesões são irreversíveis.

  • Autoridades francesas abrem inquéritos para averiguar o que aconteceu com medicamento da Bial
    3:01

    Caso Bial

    Em França prosseguem as investigações ao ensaio clínico com um medicamento da Bial que deixou 5 pessoas hospitalizadas, uma das quais em estado de coma.A polícia voltou hoje ao laboratório francês onde foram realizados os testes a pedido da farmacêutica portuguesa. As autoridades querem saber o que correu mal, apesar da garantia da Bial de que seguiu totalmente as boas práticas internacionais neste tipo de ensaios. Em curso estão três inquéritos para averiguar o que aconteceu.

  • Bial garante que cumpriu todas as boas práticas internacionais

    Caso Bial

    A Bial diz que está a colaborar com as autoridades francesas no caso do ensaio clínico que resultou no internamento em estado grave de 6 voluntários, um deles em morte cerebral. A farmacêutica portuguesa diz que seguiu todas as boas práticas internacionais na realização dos ensaios, que foram aprovados pelas autoridades francesas.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.