sicnot

Perfil

Caso Bial

Caso Bial

Caso Bial

Um dos cinco voluntários do ensaio clínico da Bial já teve alta

Uma das cinco pessoas que se encontravam ainda hospitalizadas em França, depois de terem participado num ensaio clínico com uma droga da farmacêutica portuguesa Bial, recebeu alta e regressou a casa, indicou hoje a empresa.

© Stephane Mahe / Reuters

O voluntário em causa, "que não apresentava quaisquer sintomas, já regressou a casa", indicou a farmacêutica em comunicado, acrescentando ter a "indicação de que os exames médicos realizados" aos restantes quatro voluntários, que ainda estão internados, "apresentam um quadro positivo".

Dois voluntários "já foram transferidos para hospitais das suas áreas de residência", continuando internados outros dois no Hospital Universitário de Rennes.

Um participante no ensaio clínico, na fase I, morreu no domingo, depois de declarada morte cerebral.

Ao todo, foram hospitalizados seis voluntários, que, segundo a agência noticiosa francesa AFP, receberam a dose mais elevada da molécula produzida pela Bial, testada em França pelo laboratório Biotrial.

O ensaio clínico visava testar um novo medicamento para tratar perturbações do humor como a ansiedade.

De acordo com o comunicado da Bial, o teste abrangeu 116 voluntários saudáveis, "dos quais 84 tomaram o composto experimental previamente, não tendo apresentado qualquer efeito secundário grave ou moderado".

A farmacêutica adianta que a medicação foi suspensa "a todos os participantes no ensaio", assim que tomou conhecimento de "um efeito adverso grave" num dos voluntários, a 11 de janeiro.

A Bial reitera que está a colaborar com as autoridades e entidades francesas para o apuramento das causas do incidente, assegurando que "não existe qualquer outro ensaio a decorrer com a molécula experimental" e que, até ao apuramento das causas, "não iniciará qualquer ensaio com este composto".

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32