sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Bruxelas incentiva Portugal a fornecer mais informações sobre a CGD

A Comissão Europeia disse esta quarta-feira ser prematuro avançar com informações sobre os planos de capitalização e de negócios da Caixa Geral de Depósitos (CGD), mas indicou ter incentivado Portugal a dar mais informação detalhada.

Em resposta à agência Lusa, na sequência da conferência de imprensa de hoje do ministro das Finanças, Mário Centeno, uma porta-voz de Bruxelas afirmou decorrerem "conversações construtivas com as autoridades" e a avaliação da informação recebida, mas referiu que poderão ser enviados mais dados.

"A Comissão incentiva Portugal a fornecer mais informações detalhadas (e aval do plano de recapitalização), para assegurar progressos na apreciação do caso", afirmou a porta-voz Lucia Caudet.

A mesma fonte acrescentou, ser assim, "prematuro avançar qualquer resultado da avaliação".

"Qualquer notícia sobre uma decisão, em breve, da Comissão sobre esta questão não é exata", concluiu.

O ministro das Finanças afirmou hoje que o Governo está negociar um plano de capitalização e um plano de negócios com Bruxelas que permitam que a CGD volte a ter resultados positivos de forma sustentada ao longo dos próximos cinco anos.

O objetivo assumido hoje pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, em conferência de imprensa, é que o banco público atinja "resultados positivos e sólidos de forma sustentada ao longo dos próximos 5 anos".

Para tal está a ser desenvolvido um plano de negócios até 2020 que prevê, entre outros pontos, o redimensionamento da CGD, incluindo a redução do número de agências e de colaboradores, sem recurso a despedimentos mas com base em processos de reforma e de pré-reforma, sublinhou o governante.

Paralelamente, estão também a ser desenhados os moldes do plano de capitalização, cujos números Centeno ainda não divulgou.

"Estão em curso negociações com Bruxelas. Vai haver maior detalhe assim que os números estejam definidos", afirmou.

A implementação destes planos será progressiva e será da responsabilidade da nova equipa de gestão, que será liderada por António Domingues.

Centeno afirmou ainda que o plano de capitalização que está a ser desenhado não tem qualquer relação com uma eventual integração do Novo Banco na entidade financeira pública.

"O Novo Banco está totalmente fora deste plano. Qualquer notícia nesse sentido é apenas e só especulação", realçou o governante, em resposta às questões sobre notícias que apontam para a possibilidade de a injeção de capital no banco público pressupor um valor bastante elevado de modo a permitir absorver o Novo Banco, caso o segundo processo de venda do banco de resolução que está em curso não tenha o desfecho pretendido pelas autoridades portuguesas.

Lusa

  • Marcelo não quis falar da CGD antes do jogo de Portugal
    2:50

    Caso CGD

    No final da conferência de imprensa, a oposição disse que agora era mais urgente a explicação do ministro das Finanças, que vai ser chamado ao Parlamento. Já o Presidente da República não quis falar da Caixa Geral de Depósitos antes do jogo de Portugal. O primeiro-ministro disse que é preciso paciência enquanto decorrem as negociações com Bruxelas. Catarina Martins revelou hoje à SIC que a auditoria forense à Caixa Geral de Depósitos é mesmo para avançar, porque o Governo concordou que esse é um passo necessário.

  • Mário Centeno descarta integração do Novo Banco na CGD

    Caso CGD

    O ministro das Finanas, Mário Centeno, negou que o Governo esteja a negociar com Bruxelas uma eventual integração do Novo Banco na Caixa Geral de Depsitos (CGD), cujo plano de reestruturação e de reforço de capital está a ser discutido com a Comissão Europeia(CE).

  • Afinal vão ser injetados 5 mil M€ na CGD
    1:29

    Caso CGD

    Ao contrário do que foi dito anteriormente, o Governo prevê injectar na Caixa Geral de Depósitos cerca de 5 mil milhões de euros. O plano, revelado ontem aos parceiros do Governo, vai ser finalmente tornado público, ainda hoje, em conferência de imprensa.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.