sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Bruxelas incentiva Portugal a fornecer mais informações sobre a CGD

A Comissão Europeia disse esta quarta-feira ser prematuro avançar com informações sobre os planos de capitalização e de negócios da Caixa Geral de Depósitos (CGD), mas indicou ter incentivado Portugal a dar mais informação detalhada.

Em resposta à agência Lusa, na sequência da conferência de imprensa de hoje do ministro das Finanças, Mário Centeno, uma porta-voz de Bruxelas afirmou decorrerem "conversações construtivas com as autoridades" e a avaliação da informação recebida, mas referiu que poderão ser enviados mais dados.

"A Comissão incentiva Portugal a fornecer mais informações detalhadas (e aval do plano de recapitalização), para assegurar progressos na apreciação do caso", afirmou a porta-voz Lucia Caudet.

A mesma fonte acrescentou, ser assim, "prematuro avançar qualquer resultado da avaliação".

"Qualquer notícia sobre uma decisão, em breve, da Comissão sobre esta questão não é exata", concluiu.

O ministro das Finanças afirmou hoje que o Governo está negociar um plano de capitalização e um plano de negócios com Bruxelas que permitam que a CGD volte a ter resultados positivos de forma sustentada ao longo dos próximos cinco anos.

O objetivo assumido hoje pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, em conferência de imprensa, é que o banco público atinja "resultados positivos e sólidos de forma sustentada ao longo dos próximos 5 anos".

Para tal está a ser desenvolvido um plano de negócios até 2020 que prevê, entre outros pontos, o redimensionamento da CGD, incluindo a redução do número de agências e de colaboradores, sem recurso a despedimentos mas com base em processos de reforma e de pré-reforma, sublinhou o governante.

Paralelamente, estão também a ser desenhados os moldes do plano de capitalização, cujos números Centeno ainda não divulgou.

"Estão em curso negociações com Bruxelas. Vai haver maior detalhe assim que os números estejam definidos", afirmou.

A implementação destes planos será progressiva e será da responsabilidade da nova equipa de gestão, que será liderada por António Domingues.

Centeno afirmou ainda que o plano de capitalização que está a ser desenhado não tem qualquer relação com uma eventual integração do Novo Banco na entidade financeira pública.

"O Novo Banco está totalmente fora deste plano. Qualquer notícia nesse sentido é apenas e só especulação", realçou o governante, em resposta às questões sobre notícias que apontam para a possibilidade de a injeção de capital no banco público pressupor um valor bastante elevado de modo a permitir absorver o Novo Banco, caso o segundo processo de venda do banco de resolução que está em curso não tenha o desfecho pretendido pelas autoridades portuguesas.

Lusa

  • Marcelo não quis falar da CGD antes do jogo de Portugal
    2:50

    Caso CGD

    No final da conferência de imprensa, a oposição disse que agora era mais urgente a explicação do ministro das Finanças, que vai ser chamado ao Parlamento. Já o Presidente da República não quis falar da Caixa Geral de Depósitos antes do jogo de Portugal. O primeiro-ministro disse que é preciso paciência enquanto decorrem as negociações com Bruxelas. Catarina Martins revelou hoje à SIC que a auditoria forense à Caixa Geral de Depósitos é mesmo para avançar, porque o Governo concordou que esse é um passo necessário.

  • Mário Centeno descarta integração do Novo Banco na CGD

    Caso CGD

    O ministro das Finanas, Mário Centeno, negou que o Governo esteja a negociar com Bruxelas uma eventual integração do Novo Banco na Caixa Geral de Depsitos (CGD), cujo plano de reestruturação e de reforço de capital está a ser discutido com a Comissão Europeia(CE).

  • Afinal vão ser injetados 5 mil M€ na CGD
    1:29

    Caso CGD

    Ao contrário do que foi dito anteriormente, o Governo prevê injectar na Caixa Geral de Depósitos cerca de 5 mil milhões de euros. O plano, revelado ontem aos parceiros do Governo, vai ser finalmente tornado público, ainda hoje, em conferência de imprensa.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.