sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Passos estima que recapitalização da CGD não necessita nem de metade de 5 mil milhões

O líder do PSD estimou hoje que o plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos poderá não vir a necessitar nem de metade dos cinco mil milhões de euros que são falados na comunicação social.

Jo\303\243o Relvas

"A minha perspetiva, com o conhecimento que tenho, é que a Caixa não precisa de 5 mil milhões de euros e, porventura, não precisará de metade disso para cumprir a sua missão. É a minha opinião, mas hoje não sou primeiro-ministro", afirmou o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, remetendo uma resposta concreta para o atual chefe do Governo e o ministro das Finanças.

Passos Coelho, que falava durante um almoço com empresários promovido pelo Internacional Club of Portugal, renovou os apelos para que o executivo socialista esclareça o que pretende fazer com a recapitalização do banco público, porque a indefinição fragiliza a instituição e mesmo a posição de todos os outros bancos.

"Os senhores sabem que a melhor maneira de deitar abaixo um banco é enraizar a ideia que ele não é capaz de resolver os seus compromissos", disse, recordando o que aconteceu com o Banif depois de uma estação de televisão falar numa "corrida aos depósitos" porque o banco ia ser resolvido.

"Se nós começamos a criar dúvidas sobre esta matéria, o resultado será grave", insistiu.

Depois de ter avisado de que não era uma pessoa de "paninhos quentes" e preferia um estilo "pão, pão, queijo, queijo", em vez de "dourar a pílula", Passos Coelho recuou até 2011 e, ainda a propósito da recapitalização bancária, disse que o Governo dispunha na altura de um "envelope financeiro" para essa situação que valia 12 mil milhões de euros.

Segundo o Banco de Portugal, disse, na altura para fazer uma recapitalização "robusta" eram necessários entre 40 a 50 milhões de euros, verba que o Estado não tinha.

"Nós fizemos a recapitalização com base no envelope financeiro de que dispunhamos e os bancos fizeram uma parte do seu trabalho que foi a limpeza de balanços durante quatro anos", referiu, adiantando que a Caixa "limpou" quase cinco mil milhões de euros em balanço.

A situação, continuou, não foi ideal, mas a verdade é que o Estado não tinha mais do que 12 mil milhões de euros.

Lusa

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05