sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Comissão parlamentar de inquérito à CGD toma hoje posse

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD), imposta potestativamente por PSD e CDS-PP, toma hoje posse pelas 17:00 na Assembleia da República.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O PSD anunciou na sexta-feira que o social-democrata José Matos Correia irá presidir à comissão parlamentar de inquérito à CGD e indicou para membros efetivos desta comissão Hugo Soares, que será o coordenador dos sociais-democratas, Carlos Costa Neves, Adão Silva, Margarida Mano, Emídio Guerreiro e Margarida Balseiro Lopes.

Para suplentes, os sociais-democratas indicaram Inês Domingos, António Leitão Amaro e Duarte Marques.

O Bloco de Esquerda (BE) informou, igualmente na sexta-feira, que indicou o deputado Moisés Ferreira para integrar, como efetivo, a comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão e recapitalização da Caixa Geral de Depósitos.

Mariana Mortágua, que foi a deputada efetiva do BE nas duas anteriores comissões parlamentares de inquérito à banca (Banif e BES), será agora uma das suplentes do Bloco, a par do deputado Paulino Ascensão.

O PS indicou o deputado João Paulo Correia para coordenador do partido na comissão parlamentar de inquérito à CGD.

Além de João Paulo Correia, o PS terá como deputados efetivos no inquérito à Caixa Paulo Trigo Pereira (que será vice-presidente da comissão), João Galamba, Carlos Pereira, Sónia Fertuzinhos, Susana Amador e Santinho Pacheco.

Como parlamentares suplentes, o partido socialista indicou Tiago Barbosa Ribeiro, Luís Testa e Sónia Araújo.

Na comissão de inquérito sobre o Banif, onde se aguarda o relatório final, o PS havia tido em João Galamba o seu coordenar dos trabalhos.

O CDS-PP indicou como elemento efetivo o deputado João Almeida e como suplentes os parlamentares Cecília Meireles e António Carlos Monteiro.

O PCP indicou o deputado Miguel Tiago como efetivo e como coordenador e como suplentes Bruno Dias e Paulo Sá.

A comissão de inquérito vai debruçar-se sobre a gestão do banco público desde o ano 2000 e abordará o processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, atualmente em negociação com Bruxelas.

Lusa

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.