sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Governo confirma demissão da administração da CGD

A administração da Caixa Geral de Depósitos demitiu-se, depois de seis meses em gestão corrente. De acordo com o Público de hoje, os administradores executivos e não executivos do banco público bateram com a porta, cansados de esperar por uma solução do Governo para os órgãos sociais. O gabinete do ministro das Finanças confirma.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Numa carta enviada ao ministro das Finanças de 21 de junho, a administração da Caixa fez saber que as condições para se manterem à frente do banco público esgotaram-se, 6 meses depois do mandato terminar.

Já em março deste ano o jornal Expresso revelava que o Governo tinha convidado o então vice-presidente do BPI para liderar a Caixa mas na reunião de maio não foi tomada a decisão formal.

Quase dois meses depois, a cúpula do banco público responsabiliza o Governo pelo impasse que se vive na Caixa, há meio ano sem rumo traçado nem estratégia definida.

O gabinete do ministro das Finanças confirmou hoje a demissão da adminstração do banco, numa carta enviada a Mário Centeno, adiantando que os gestores demissionários vão ficar no banco até serem substituídos.

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos imposta potestativamente por PSD e CDS-PP, toma hoje posse pelas 17:00 na Assembleia da República, sendo presidida pelo social-democrata José Matos Correia.

A comissão de inquérito vai debruçar-se sobre a gestão do banco público desde o ano 2000 e abordará o processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, atualmente em negociação com Bruxelas.

Na segunda-feira, o Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do Grupo CGD (STEG) anunciou que CGD vai cortar 2.500 trabalhadores entre 2017 e 2020, através de reformas e saídas por acordo.

O STEG reuniu-se no final da semana passada com o Secretário de Estado do Tesouro, Ricardo Mourinho Félix, para esclarecer informações que têm vindo a público sobre o banco público e a reestruturação que deverá acontecer quando a nova administração entrar em funções.

"A redução prevista do número de trabalhadores será da ordem dos 2.500. Embora essa avaliação seja feita pela nova administração e prevendo-se a sua aplicação a partir de 2017 e ao longo de três anos", lê-se no comunicado do sindicato, segunda-feira divulgado na sua página na Internet, que cita as informações dadas pelo governante no encontro.

Contudo, refere a mesma nota, o governante garantiu que "não haverá despedimentos e que a redução de pessoal será feita por "reformas ou reformas antecipadas, sempre por acordo entre a CGD e o trabalhador".

Com Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.