sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Administração da CGD deixa de estar sujeita aos limites salariais dos gestores públicos

A administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) deixa de estar sujeita às limitações salariais impostas aos gestores públicos, segundo a revisão ao decreto-lei publicada hoje em Diário da República, que entra em vigor na sexta-feira.

A terceira alteração ao decreto-lei do estatuto do gestor público faz com que "quem seja designado para órgão de administração de instituições de crédito integradas no setor empresarial do Estado e qualificadas como 'entidades supervisionadas significativas'" não esteja sujeito aos limites salariais, aplicados aos gestores públicos.

Em junho, o Governo de António Costa aprovou, em Conselho de Ministros, a alteração ao estatuto do gestor público, que impede que os salários dos gestores públicos sejam superiores ao do primeiro-ministro, "no sentido de reforçar o conselho de administração da CGD".

O ministro das Finanças justificou a necessidade da alteração do estatuto do gestor público, ligado à administração da CGD, explicando que o atual regime "é perverso", uma vez que remunera as pessoas pelo que fizeram no passado.

"Neste momento, os esquemas de incentivos são totalmente perversos, porque permitem que o vice-presidente da CGD tenha um rendimento mensal muito inferior ao dos vogais, ou seja, as pessoas estão a ser remuneradas não por aquilo que estão a fazer hoje, mas pelo que fizeram no passado", explicou então Mário Centeno.

O governante reforçou que neste momento, o regime que é aplicado à CGD permite que os membros do conselho de administração tenham um rendimento igual ao que auferiam na sua colocação profissional anterior na média dos últimos três anos.


Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.