sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Esquerda chumba novas audições de Centeno e António Domingues

(Arquivo)

Lusa

Os partidos da Esquerda, incluindo o PS, chumbaram esta terça-feira novas audições na comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos (CGD) do ainda presidente executivo do banco, António Domingues, e do ministro das Finanças, Mário Centeno.

A comissão aprovou hoje um recurso do PS chumbando o pedido do PSD para que Domingues e Centeno voltassem a ser ouvidos em sede de comissão - PCP e BE viabilizaram o recurso socialista, com sociais-democratas e também o CDS-PP a votarem contra.

A votação, todavia, motivou alguma polémica: na sala estavam presentes sete deputados do PSD/CDS-PP e sete deputados de PS, PCP e BE, com o social-democrata Hugo Soares a interrogar sobre se a votação deveria acontecer por grupo parlamentar ou de forma nominal.

"As consequências da votação serão apuradas nos termos da lei", assinalou o coordenador do PSD na comissão, o que mereceu concordância do presidente da comissão, José Matos Correia.

"Está clara a deliberação. A minha decisão de admitir o requerimento do PSD fica sem efeito" e portanto Centeno e Domingues não voltarão nesta fase à comissão de inquérito porque o âmbito da sua vinda está "fora" daquele definido pela comissão, prosseguiu Matos Correia.

O socialista João Galamba sustentou que a comissão de inquérito "não pode ser aberta e com um objeto indefinido", correndo portanto o risco de "qualquer notícia futura sobre a CGD poder ser interpretada como pertencendo a esta comissão".

A ideia foi corroborada pelos deputados Miguel Tiago, do PCP, e Moisés Ferreira, do BE.

Hugo Soares, pelo PSD, acusou o PS de utilizar um "vazio do ponto de vista jurídico" para fazer valer a posição, acusando a esquerda de se unir para impedir as audições.

"Não há memória de em nenhuma comissão de inquérito isto ter acontecido", advertiu o social-democrata, que acusou PS, PCP e BE de terem uma conduta "antidemocrática".

O PS já havia anunciado na semanada passada que iria chamar Mário Centeno e António Domingues para audições no parlamento, mas na comissão permanente de Orçamento e Finanças.

Hoje, para além da deliberação sobre os pedidos de audição de António Domingues e Mário Centeno, a comissão de inquérito ouviu António Bagão Félix, antigo ministro das Finanças num período inferior a um ano entre 2004 e 2005, com Pedro Santana Lopes (PSD) como primeiro-ministro.

Lusa

  • Seleção de sub-21 precisa de vencer a Macedónia

    Desporto

    A seleção portuguesa de futebol de sub-21 precisa, hoje, de vencer a Macedónia e de marcar pelo menos quatro golos para poder sonhar ainda com a presença nas meias-finais do Europeu da categoria, que decorre na Polónia.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.