sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

CDS-PP bate o pé e reitera acusações a Centeno

RAFAEL MARCHANTE

O CDS-PP insistiu hoje que o Ministério das Finanças "procurou ocultar" comunicações com António Domingues e que mentir numa comissão de inquérito pode constituir crime. Em comunicado, o partido desafia o ministro e o primeiro-ministro a retirarem consequências.

"Mentir numa comissão de inquérito é politicamente grave e pode, inclusivamente, nos termos da lei, constituir crime. O senhor ministro das Finanças e o senhor primeiro-ministro terão de retirar as suas consequências", declarou o CDS-PP, em comunicado, em que reitera o que o porta-voz do partido e deputado João Almeida afirmou em conferência de imprensa na quinta-feira.

A tomada de posição dos centristas segue-se a uma declaração escrita do ministro das Finanças, Mário Centeno em que acusou o CDS de truncar factos para produzir uma "vil tentativa de assassinato" do seu caráter."

O CDS-PP disponibilizou o requerimento formulado e a resposta do Ministério das Finanças, na sua totalidade, não tendo truncado nenhum documento, nem omitido qualquer informação prestada", lê-se no comunicado do partido.

O requerimento do CDS-PP foi enviado, ao tempo, ao Ministério das Finanças e ao dr. António Domingues, afirmam. "O Ministério das Finanças respondeu que essas comunicações 'inexistiam'. O dr. António Domingues enviou as comunicações. O que permite concluir que, de facto, existiam e estavam enquadradas no objeto do requerimento", frisam.

O partido respondeu ainda que, "quanto ao critério cronológico invocado pelo Ministério das Finanças para excluir 'comunicações posteriores à entrada em funções do dr. António Domingues', este não tem qualquer relação com o objeto do requerimento que apenas tinha uma limitação cronológica inicial (20 de Março de 2016)".

"É relevante e exigível qualquer comunicação em que se refiram as 'condições colocadas para a aceitação dos convites', independentemente do momento em que foram enviadas.

A entrada em funções da nova administração não impede a referência posterior às condições acordadas previamente", declaram.O partido concluiu que, " nestes termos, só é possível concluir que o objeto do requerimento que o CDS-PP formulou existe e que o Ministro das Finanças ao responder 'Inexistem trocas de comunicações com as características descritas?' não disse a verdade".

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52