sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

São Bento "não gostou" do comunicado de Marcelo

Notícia SIC

ANDR\303\211 KOSTERS

O comunicado da Presidência da República sobre Mário Centeno e polémica da CGD terá sido recebido "sem agrado" em São Bento. Em Belém, é referido o "comportamento censurável" do ministro. O gabinete do primeiro-ministro desmente desagrado.

Horas depois de ter sido conhecida a posição do Presidente da República, fontes próximas de Belém garantem à SIC que o Primeiro-ministro "não gostou" da posição assumida pelo chefe de Estado. Um desagrado que António Costa terá deixado claro a Marcelo. No entanto, à SIC, o gabinete do primeiro-ministro assegura que não qualquer desconforto ou desagrado com a comunicação de Belém.

Nas várias conversas que existiram entre António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa, o Primeiro-ministro defendeu que Mário Centeno não devia ser demitido, e, segundo as mesmas fontes, terá feito “vários elogios” ao ministro das Finanças. Mas em Belém a posição assumida é que Centeno teve um "comportamento censurável" e que se o “PR tivesse insitido” ele acabaria por sair.

Fontes próximas do Presidente garantem que a partir de agora Marcelo está de "olho vivo" no titular das pasta das Finanças. Mais: o ministro “não pode achar que tem folga” e passa a estar em "exame". As mesmas fontes explicam à SIC que o Presidente considera que o ministro devia ter dado explicações há vários meses, reconhecendo que Centeno só fica no cargo porque a sua demissão teria impactos sérios na estabilidade financeira do país e na frente externa. Em Belém, aliás, é recordada a demissão de Vítor Gaspar para lembrar esses efeitos negativos.

No comunicado de Belém, Marcelo invoca o "estrito interesse nacional, em termos de estabilidade financeira" para justificar a manutenção de Mário Centeno na pasta. Na Presidência defende-se aliás que este é um argumento "maior" que servirá para "salvar" Centeno mesmo que surjam as SMS que terão sido trocadas entre o ministro e António Domingues. Logo se verá.

  • Dirigentes do PS criticam comunicado de Marcelo

    País

    Depois das críticas do PSD a Marcelo Rebelo de Sousa, é a vez de o PS questionar as declarações do Presidente da República. O dirigente socialista Porfírio Silva aconselha Marcelo a "respeitar os poderes próprios e os órgãos de soberania".

  • "Erro de perceção mútuo" entre Centeno e Domingues
    1:58

    Caso CGD

    No arranque de mais uma semana com o ministro das Finanças debaixo de fogo por causa da CGD, António Costa reafirma total confiança em Mário Centeno. O ministro das Finanças reafirmou esta segunda-feira que nunca mentiu e que nunca houve acordo para isentar os administradores da Caixa Geral de Depósitos, de apresentarem as declarações de rendimentos e património ao Tribunal Constitucional.

  • Ministro das Finanças debaixo de fogo
    1:10

    Caso CGD

    Horas antes das explicações do ministro das Finanças, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares saiu em defesa de Mário Centeno, numa entrevista ao jornal online Eco. Ao mesmo tempo, o PSD pedia a presença de António Domingues, de novo no Parlamento, para esclarecer se houve ou não um acordo que o dispensasse da entrega de declarações. Os sociais-democratas não acreditam nas palavras do ministro das Finanças.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.