sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Ferro recusa que conferência de líderes se pronuncie sobre comissão da CGD

MIGUEL A. LOPES

O presidente da Assembleia da República defendeu esta quarta-feira que as matérias da comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos devem ser tratadas nesse âmbito e não discutidas em conferência de líderes, transmitiu a secretária da mesa Idália Serrão.

"O senhor presidente reforçou que as matérias do âmbito da comissão de inquérito devem ser tratadas no âmbito da comissão de inquérito e não devem ser trazidas para a conferência de líderes", informou os jornalistas a porta-voz da conferência de líderes, a secretária da mesa Idália Serrão (PS).

A porta-voz da conferência de líderes acrescentou que foi dito na reunião de conferência de líderes que "qualquer avaliação ou decisão que o senhor presidente da Assembleia tenha de fazer sobre esta matéria será sempre no estrito cumprimento da Constituição".

O também secretário da mesa da Assembleia António Carlos Monteiro (CDS-PP) acrescentou que Eduardo Ferro Rodrigues disse que não cabe ao presidente do parlamento imiscuir-se no funcionamento da comissão parlamentar de inquérito.

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, e o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, desafiaram hoje o PS, BE e PCP a inverterem a decisão de terça-feira de não analisar as comunicações trocados entre o ministro das Finanças e o ex-presidente do banco público António Domingues.

O desafio foi rejeitado e, em declarações aos jornalistas, no final da conferência de líderes, os presidentes da bancada do PS, Carlos César, do BE, Pedro Filipe Soares, e do PCP, João Oliveira, acusaram sociais-democratas e centristas de quererem utilizar a comissão de inquérito à Caixa para criar um facto político, violando a Constituição e a lei, que não permite o acesso a comunicações pessoais.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11