sicnot

Perfil

Caso CGD

Caso CGD

Caso CGD

Estado já elegeu vogais não executivos da CGD 

(Reuters)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O Estado, na qualidade de acionista detentor da totalidade do capital social da Caixa Geral de Depósitos, elegeu na semana passada os quatro membros não executivos do Conselho de Administração, informou hoje a Comissão de Mercados e Valores Mobiliários.

De acordo com a CMVM, Ana Maria Machado Fernandes, Maria dos Anjos Nunes Capote, João Amaral Tomaz e José Maria Monteiro de Azevedo Rodrigues foram os nomes escolhidos.


Em comunicado, o Ministério das Finanças, liderado por Mário Centeno, acrescenta que os quatro novos administradores não executivos da CGD já iniciaram funções.


A informação prestada pela Caixa Geral de Depósitos à CMVM informa que a eleição decorreu em 17 de março.
A CGD irá também realizar uma emissão de obrigações subordinadas de categoria Additional Tier 1 (dívida perpétua), num montante de 500 milhões de euros, estando por isso a promover um conjunto de apresentações ('roadshow') junto de investidores institucionais, em Lisboa, Londres e Paris.


A emissão surge depois da Comissão Europeia ter decidido em 10 de março deste ano que a estratégia de recapitalização da CGD é realizada em condições de mercado, o que significa que não constitui um novo auxílio de Estado, diz o documento do ministério.


O comunicado do Governo lembra que para a concretização da segunda fase do plano de recapitalização, o Estado Português, na qualidade de acionista único, determinou o aumento do capital social da CGD, no montante de 2,5 mil milhões de euros.


"Com a conclusão do processo, Portugal fica com o Banco público, o maior banco do sistema financeiro português, em condições mais sólidas, contribuindo assim para o fortalecimento do sistema financeiro do País e para a dinamização da economia", lê-se no comunicado.

Lusa

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47