sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Polícia francesa deteve 208 pessoas nos incidentes de Paris

A polícia francesa deteve 208 pessoas no centro de Paris nos incidentes registados hoje quando grupos violentos violaram a proibição de manifestações na capital francesa, na sequência dos atentados terroristas de 13 de novembro passado.

IAN LANGSDON

A marcha pelo clima que estava agendada para hoje em Paris, onde na segunda-feira começa a conferência das partes das Nações Unidas sobre clima (COP21), foi cancelada devido aos atentados que provocaram 130 mortos e 350 feridos.

O total de detidos foi avançado pelo ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, que em declarações à imprensa disse que 174 dos detidos já tinham registos de prisão, e garantiu que as operações das forças de segurança vão continuar.

Bernard Cazeneuve sublinhou que os incidentes tinham sido provocados por uma "minoria violenta" composta por dezenas de indivíduos encapuçados que se aproveitaram do cordão humano promovido por ambientalistas a partir da Praça da República para promoverem uma marcha violenta.

O presidente francês criticou já o que designou de ação "escandalosa" de "elementos perturbadores".

"Sabemos que existiam elementos perturbadores que nada têm a ver com os ambientalistas", declarou o chefe de Estado francês em Bruxelas, à margem de um encontro da União Europeia com a Turquia, denunciando os incidentes "lamentáveis e até mesmo escandalosos".

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46