sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Costa diz que "chave para combater alterações climáticas" passa pela reabilitação e transporte urbanos

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta segunda-feira, em Paris, que a "reabilitação urbana e transporte urbano" são "a chave para melhores cidades e melhores condições para combater alterações climáticas".

"Portugal quer estar na vanguarda da alteração do paradigma energético, é hoje um país que tem uma intensidade de energias renováveis muito superior àquilo que é a média da União Europeia", referiu o primeiro-ministro.

"Portugal quer estar na vanguarda da alteração do paradigma energético, é hoje um país que tem uma intensidade de energias renováveis muito superior àquilo que é a média da União Europeia", referiu o primeiro-ministro.

ETIENNE LAURENT / Lusa

"A eficiência energética por via da reabilitação urbana e de uma outra mobilidade urbana são a chave para salvarmos o planeta nestas alterações climáticas. Esta conferência da COP21 é fundamental para o mundo, mas está nas mãos das presidentes de Câmara e dos Presidentes de Câmara salvar o nosso planeta das alterações climáticas e é fundamental ao nível da Europa e dos Estados fazer uma grande aliança com as cidades para que seja possível salvar o planeta e travar este processo das alterações climáticas", declarou António Costa, ao final da tarde.

António Costa esteve, de manhã, na sessão de abertura da Conferência da ONU sobre o Clima, a COP 21, onde não discursou por não estar inscrito - algo que classificou como "incidente burocrático" e disse que "mais importante que o que se diz é o que se faz".

"Portugal quer estar na vanguarda da alteração do paradigma energético, é hoje um país que tem uma intensidade de energias renováveis muito superior àquilo que é a média da União Europeia", continuou António Costa, sublinhando que o novo ministro do Ambiente vai "manter Portugal nessa boa linha: reabilitação urbana, transporte urbano" e afirmando não ter "a menor das dúvidas que o doutor Moreira da Silva fez um excelente trabalho na preparação da COP".

O primeiro-ministro falou aos jornalistas no Hôtel de Ville de Paris, onde foi recebido pela Presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo, a quem transmitiu as condolências pelos atentados de 13 de novembro.

"Aproveitei a esta vinda à COP21 para transmitir à presidente da Câmara de Paris as minhas condolências às parisienses e parisienses por este ato bárbaro a que todos podemos assistir que atingiu não só Paris como toda a Europa, todo o mundo livre e portugueses também que faleceram neste atentado", declarou.

Por sua vez, Anne Hidalgo disse aos jornalistas que a eleição de António Costa foi "uma das melhores notícias" que recebeu "nas últimas semanas", salientando estar "com ele de todo o coração e com o povo português", agradecendo ainda o apoio "nos primeiros minutos" após os atentados de 13 de novembro.

Depois, António Costa foi prestar homenagem às vítimas dos ataques, junto à sala de concertos Bataclan, onde deixou um ramo de flores, na companhia de Hermano Sanches Ruivo, vereador dos assuntos europeus em Paris.

Lusa

  • Segurança aperta em Paris na Cimeira do Clima
    1:36

    Mundo

    A recuperar dos atentados de 13 de Novembro, Paris transformou-se para garantir a segurança na Cimeira do Clima. A presença de 150 chefes de Estado obriga a que se tomem medidas de segurança que afetam o dia a dia dos parisienses. Não pode, por exemplo, vender-se gás, nem acetona.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.