sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Trabalhar para retirar os parênteses do documento negocial para o Acordo de Paris

SIC NA COP21

Na Conferência do Clima delegados dos diferentes países, em grupos de trabalho temático, discutem a redação do documento base para o Acordo de Paris. Mas, no primeiro dia de negociações, não há avanços a registar.

Álvaro Oliveira/SIC

No calendário da COP21, a Conferência do Clima que decorre ao norte de Paris, as negociações ao nível técnico deveriam estar concluídas até esta sexta-feira, dia 4. Mas há quem aposte que se irão prolongar durante o fim de semana.

O documento contém ainda muitas palavras e frases entre parênteses o que significa várias opções em aberto devido à posições divergentes que será preciso aproximar.

No início da próxima semana, segunda-feira dia 7, chegarão os ministros do Ambiente dos 195 países (mais a UE) que fazem parte da Convenção-quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, para negociarem ao nível político todas as questões que permanecerem em aberto.

Segundo a Rede de Ação Climática, que representa as organizações não governamentais de ambiente na conferência, "estamos longe de onde precisamos de estar". Para as organizações de ambiente, é preciso garantir que os compromissos nacionais são revistos em alta a cada 5 anos e que o esforço de redução de emissões de gases com efeito de estufa e de adaptação é acompanhado pelo financiamento necessário.

Terça-feira, a China, o Brasil, a África do Sul e a Índia relembram que os países desenvolvidos têm de cumprir os compromissos assumidos em termos de financiamento para o período até 2020, de 100 mil milhões de dólares por ano de apoio aos países em desenvolvimento.

As Maldivas, em nome da Aliança dos Pequenos Estados-ilha, ameaçadas pelo aumento do nível médio da água do mar, apelaram a um acordo que tenha compromissos de redução de emissões de médio e longo prazo capazes de assegurar que a temperatura média global não aumente mais do que 1,5°C em relação ao período pré-industrial.



Carla Castelo

SIC, em Paris

  • Centrais de carvão são o alvo a abater, defendem peritos
    2:22

    Cimeira do Clima

    Na Cimeira do Clima, em Paris, o presidente francês anunciou que vão ser gastos, nos próximos 4 anos, 6 mil milhões de euros, para apoiar o desenvolvimento energético em África. Uma primeira conclusão parece ser óbvia: de nada servirá o esforço para redução do aquecimento global se continuarem a ser construídas centrais a carvão. Os representantes africanos queixam-se de ser os que mais sofrem com a poluição dos outros.

  • Como reduzir as emissões de gases com efeito de estufa

    Infografias

    O efeito de estufa é um fenómeno global muito importante para a existência de vida, como a conhecemos, no Planeta Terra. Se a atmosfera terrestre não tivesse na sua composição gases com efeito de estufa (GEE), a Terra teria uma temperatura média muito mais baixa (cerca de -20°C). Estes gases funcionam como uma espécie de "cobertor" que envolve a Terra, mantendo uma temperatura amena (cerca de 15°C em média) à superfície. Ora, o aumento de concentração de GEE vai exacerbar o efeito de estufa e aumentar a temperatura média global. Há uma série de gases com efeito de estufa, como o Dióxido de carbono (CO2), o Metano (CH4) e o Óxido nitroso (N2O).

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.