sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Projeto de acordo para combater alterações climáticas aprovado hoje na Cimeira de Paris

Foi aprovado na Cimeira do Clima em Paris um projeto de acordo para combater as alterações climáticas. O documento ainda vai ser ultimado, até ao final da semana, pelos cerca de 200 ministros de todo o mundo que participam no encontro.

© Stephane Mahe / Reuters

Com esta aprovação, encerram-se seis anos de trabalhos que começaram na cimeira do clima de Durban (2011), na África do Sul, quando as negociações para um pacto global de luta contra as alterações climáticas começaram.

O projeto de acordo, que tem 48 páginas e muitas opções em aberto, é um "sinal de otimismo para a próxima semana", segundo o embaixador francês no plenário da COP21, Laurence Tubiana.

"Temos uma nova base para as negociações aceite por todos (...) Trata-se de escrever (o texto) a seguir", declarou Tubiana.

"O trabalho não está terminado, as principais questões políticas continuam por ser decididas. Vamos precisar de toda a nossa energia, inteligência, capacidade de compromisso, capacidade de ver ao longe para chegar a um resultado", acrescentou Laurence Tubiana.

"Como Nelson Mandela disse, parece ser sempre impossível até ser feito", disse Nozipho Mxakato-Diseko, o delegado Sul-Africano na cimeira.

  • Projeto português na Cimeira do Clima de Paris
    2:23

    Cimeira do Clima

    Já se sabe que os carros elétricos poluem muito menos. Mas um grupo de engenheiros portugueses quer apurar com mais rigor a dimensão desse benefício para o ambiente. Vão apresentar na Cimeira do Clima, em Paris, um sistema que indica, em tempo real, quanto é que um veículo elétrico está a poupar em emissões poluentes.

  • Centrais de carvão são o alvo a abater, defendem peritos
    2:22

    Cimeira do Clima

    Na Cimeira do Clima, em Paris, o presidente francês anunciou que vão ser gastos, nos próximos 4 anos, 6 mil milhões de euros, para apoiar o desenvolvimento energético em África. Uma primeira conclusão parece ser óbvia: de nada servirá o esforço para redução do aquecimento global se continuarem a ser construídas centrais a carvão. Os representantes africanos queixam-se de ser os que mais sofrem com a poluição dos outros.

  • Lisboa assinala fim das obras no Saldanha
    2:39