sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Índia avisa que sucesso da Cimeira do Clima depende de ajuda de países ricos a pobres

O ministro do Ambiente da Índia avisou hoje que o sucesso das negociações a decorrer em Paris para obter um acordo sobre combate às alterações climáticas não está garantido, porque os países ricos recusam as preocupações dos mais pobres.

Ministro do Ambiente da Índia, Prakash Javadekar (Reuters)

Ministro do Ambiente da Índia, Prakash Javadekar (Reuters)

© Stephane Mahe / Reuters

O mundo desenvolvido "não está a aceitar e não está a mostrar flexibilidade" relativamente às preocupações dos países em desenvolvimento, disse Prakash Javadekar a jornalistas.

A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21) está a decorrer em Paris desde 30 de novembro e tinha encerramento previsto para hoje, mas foi adiado para sábado, já que os representantes dos 195 países mais União Europeia não conseguiram ainda chegar a acordo.

O objetivo é obter um documento de consenso sobre redução das emissões de gases com efeito de estufa, para evitar a subida da temperatura média acima de dois graus de modo a prevenir a frequência de fenómenos extremos como ondas de calor, secas, cheias ou subida do nível do mar, e encontrar formas de financiar a adaptação, principalmente dos países mais vulneráveis.

"O Presidente francês, François Hollande, foi duas vezes avisado que, se o mundo desenvolvido não mostrar espírito de cooperação, o sucesso [do acordo] de Paris não está garantido", alertou o ministro indiano.

Quando os jornalistas lhe pediram para explicar esta posição, Prakash Javadekar disse que "se trata essencialmente dos assuntos relacionados com a diferenciação e a equidade".

A diferenciação refere-se a uma maior responsabilização dos países desenvolvidos pelo aquecimento global, e o princípio da equidade diz que os países pobres devem ser ajudados, com fundos ou de outras formas, pois estão mais vulneráveis às alterações climáticas.

O responsável francês tinha falado da possibilidade de as negociações de Paris acabarem em fracasso, nomeadamente se os países ricos não cumprirem com a sua parte para obter 100 mil milhões de dólares (91 mil milhões de euros) por ano até 2020 para financiar a adaptação das nações em desenvolvimento aos impactos das alterações climáticas.

"Não haverá acordo...se não existir um compromisso firme na parte financeira", disse François Hollande, em setembro.

EA // JMR

Lusa/Fim

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC