sicnot

Perfil

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

Cimeira do Clima

França é o primeiro país industrializado a ratificar o acordo de Paris

O Presidente francês, François Hollande, ratificou hoje em Paris o acordo climático alcançado em dezembro de 2015 durante o encontro internacional COP21, tornando a França o primeiro país industrializado a fazê-lo.

JACKY NAEGELEN / POOL

"Assinar é bom, ratificar é melhor", brincou Hollande na cerimónia do Palácio Eliseu, ao lado da ministra do Ambiente, Segolene Royal, do ministro dos Negócios Estrageiros, Jean-Marc Ayrault e de outros membros do governo.

O presidente francês lembrou que o acordo não vai entrar em vigor a menos que 55 países responsáveis por pelo menos 55 por cento das emissões globais do efeito de estufa o ratifiquem.

Até agora dezassete países -- maioritariamente pequenas ilhas e pequenos países costeiros que são especialmente vulneráveis à subida do nível do mar -- ratificaram o acordo.

Hollande apelou aos outros países europeus para que sigam a iniciativa de França até ao final do ano.

No encontro do COP21 em Paris, em dezembro do ano passado, 177 governos chegaram a um acordo histórico ao definir uma meta que limita o aquecimento global "bem-abaixo" de 2.0 graus Celsius (3.6 Fahrenheit) em comparação com os níveis pré-industriais.

Os anfitriões do encontro francês - que aconteceu semanas após os ataques terroristas de novembro em Paris - foram elogiados pelo sucesso do encontro, especialmente Hollande e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius.

No acordo de 32 páginas também se apela aos países ricos para que reúnam pelo menos 100 mil milhões de dólares por ano (cerca de 94 mil milhões de euros) para ajuda climática a partir de 2020. Como isso vai acontecer é ainda algo a ser planeado.

O COP21 é o acrónimo da 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (UNFCCC), criada ao abrigo da Cimeira do Rio de 1992.

Lusa

  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC