sicnot

Perfil

Caso das Viagens

Caso das Viagens

Caso das Viagens

MP confirma buscas à Galp no âmbito das viagens do Governo

O Ministério Público confirmou hoje que a Galp e uma agência de viagens foram alvo de buscas no âmbito da investigação às deslocações ao Europeu de Futebol de França pagas pela gasolineira a três membros do Governo.

Numa resposta à Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) adianta ainda que no decurso das buscas, realizadas na primeira quinzena de agosto, foi apreendida documentação.

A PGR esclarece ainda que o inquérito "não tem arguidos constituídos", encontrando-se em segredo de justiça.

A 04 de agosto, à Lusa, o Ministério Público avançou estar a "recolher elementos" sobre a viagem do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, ao Europeu de futebol de França, a convite da Galp, para apurar se havia "procedimentos a desencadear no âmbito das respetivas competências".

A PGR informou, na altura, que o Ministério Público se encontrava "a recolher elementos, tendo em vista apurar se há, ou não, procedimentos a desencadear no âmbito das respetivas competências".

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais disse que pretende reembolsar a Galp da despesa da viagem para assistir a jogos da Seleção Portuguesa de Futebol no Campeonato da Europa de França, embora encare com normalidade ter aceitado o convite da empresa.

A edição online da revista Sábado noticiou a 03 de agosto que Fernando Rocha Andrade viajou a convite da Galp para assistir a encontros da seleção portuguesa durante a fase de grupos do Europeu.

Numa nota enviada à agência Lusa pelo gabinete de imprensa do Ministério das Finanças, o secretário de Estado confirmou que aceitou o convite feito pela Galp, "enquanto entidade patrocinadora da Seleção Nacional", para assistir a dois jogos.

O governante sublinhou que "considerou o convite natural, dentro da adequação social" e entende que "não existe conflito de interesses".

"No entanto, para que não restem dúvidas sobre a independência do Governo e do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, o secretário de Estado contactou a Galp no sentido de reembolsar a empresa da despesa efetuada", referiu o Ministério das Finanças.

Entretanto, contactada pela Lusa, a Galp esclareceu que "é comum" e eticamente aceitável convidar para determinados eventos entidades com que se relaciona.

A empresa explicou que patrocina a Seleção Nacional de futebol desde 1999 e que, além das iniciativas diretamente ligadas à utilização da imagem e dos símbolos da equipa em campanhas publicitárias, desenvolve igualmente outras iniciativas com o objetivo de reforçar a visibilidade e impacto desse apoio, nomeadamente o envio de convites a pessoas e instituições com as quais se relaciona.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.