sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Portas diz que "Europa tem de dar prioridade política à questão das migrações"

O vice-primeiro-ministro português, Paulo Portas, afirmou hoje que a Europa tem de dar prioridade política à questão das migrações, sobretudo no Mediterrâneo, afirmando que a indiferença não é boa resposta e que "o Papa tem toda a razão".

M\303\201RIO CRUZ

"A Europa tem de dar prioridade política à questão das migrações, em particular na fronteira sul", disse Paulo Portas, à margem de um evento que decorreu hoje em Lisboa.

O governante considera que "a indiferença não é a boa resposta" face àquilo que se está a observar e já se observava nos últimos anos. E lança um alerta: "Se nada for feito continuaremos a ver".

Paulo Portas sublinha que a Europa precisa dar prioridade política à questão das migrações em colaboração com os Estados do outro lado do Mediterrâneo.

"Não é possível agir isoladamente, é preciso não ter nenhuma condescendência com as máfias organizadas que exploram seres humanos e é preciso ter projetos audaciosos de cooperação e desenvolvimento que estimulem o crescimento económico nos países de origem deste fenómeno. Há imenso por fazer e eu acho que o Papa tem toda a razão", disse.

Portas lembrou ainda que o Mediterrâneo "é o berço de uma civilização", mas que semana após semana se está a transformar no túmulo do desespero de seres humanos "que fazem o possível e o impossível para fugir da guerra e da miséria".

O governante português falou depois do naufrágio de domingo de uma embarcação com pelo menos 700 pessoas a bordo, acidente ocorrido poucos dias depois de uma tragédia semelhante fazer cerca de 400 desaparecidos. 

Na quinta-feira, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia vão celebrar um Conselho Europeu extraordinário, em Bruxelas, na sequência das mais recentes tragédias no Mediterrâneo.

No domingo, após a notícia do naufrágio no Mediterrâneo, o líder da Igreja Católica fez um "apelo à comunidade internacional para que atue com decisão e rapidez, com o objetivo de evitar que este tipo de tragédias voltem a ocorrer".

"São homens e mulheres como nós. Irmãos que procuram uma vida melhor. Têm fome, são perseguidos, estão feridos, são explorados e são vítimas de guerras que procuram uma vida melhor procurando a felicidade", acrescentou o Papa Francisco.

Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.