sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Líderes europeus reúnem-se em Bruxelas para prevenir mais mortes no Mediterrâneo

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia reúnem-se na quinta-feira, em Bruxelas, numa cimeira extraordinária que tem como objetivo "prevenir que mais pessoas morram no mar" Mediterrâneo, indicou hoje o presidente do Conselho Europeu.

© Yves Herman / Reuters

Na carta-convite dirigida aos líderes dos 28 Estados-membros, entre os quais o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, Donald Tusk, que convocou na segunda-feira este Conselho Europeu extraordinário, na sequência do naufrágio de uma embarcação com imigrantes ilegais no passado fim-de-semana que causou cerca de 800 mortos, diz esperar que sejam acordadas medidas muito concretas para evitar novas tragédias.

Admitindo que "a migração é um assunto complexo" que só pode ser enfrentado se forem combatidas as suas "causas profundas", Tusk assinala na missiva que, na cimeira de quinta-feira, "a prioridade absoluta é prevenir que mais pessoas morram no mar".  

"Espero por isso que acordemos medidas muito práticas que contribuam para este objetivo, em particular através do reforço das possibilidades de busca e salvamento, combatendo os traficantes e desencorajando as suas vítimas a por a vida em risco, ao mesmo tempo que reforçamos a solidariedade entre os Estados-membros", aponta.

Segundo o presidente do Conselho Europeu, "estas medidas imediatas constituirão um primeiro passo no desenvolvimento de uma abordagem da UE mais sistémica e geograficamente mais abrangente ao fenómeno migratório no futuro próximo".

Sobre a mesa dos líderes europeus estará um plano com 10 ações imediatas proposto na passada segunda-feira pelo comissário europeu para a Migração, durante uma reunião extraordinária de ministros dos Negócios Estrangeiros e do Interior da União Europeia realizada no Luxemburgo.

O plano de 10 ações prevê um fortalecimento das operações de busca e salvamento da UE no Mediterrâneo, com um reforço do financiamento e meios disponíveis de patrulha, e contempla ainda um "esforço sistemático" para capturar e destruir embarcações utilizadas pelos traficantes de seres humanos, encontros regulares entre instituições como Europol, Frontex e Eurojust, projetos-piloto de reinstalação de requerentes de asilo, e intensificação do diálogo com os países do norte de África, entre outras ações com cariz de urgência. 

A cimeira de líderes europeus terá início às 16:00 locais em Bruxelas (15:00 de Lisboa).

À margem da cimeira, terá lugar, nas imediações da sede do Conselho Europeu, em Bruxelas, uma "marcha fúnebre" organizada pela Amnistia Internacional, com o objetivo de chamar a atenção para o que esta organização classifica como "a vergonhosa resposta" da Europa ao drama no Mediterrâneo e à necessidade urgente de operações robustas e multinacionais de busca e salvamento.

Lusa

  • PJ faz buscas no Benfica sobre o caso dos e-mails

    Desporto

    A Polícia Judiciária está a fazer buscas em instações no Benfica devido ao caso dos e-mails divulgado pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques. Contactado pela SIC, o clube da Luz disse desconhecer a ação.

    Em atualização

  • Governo prepara pacote de medidas para matas ardidas

    País

    O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • Acabou o estado de graça

    Sá Carneiro dizia que qualquer Governo tem direito a um estado de graça de 100 dias. E que, depois disso, já não tem margem para deitar culpas ao Governo anterior. O discurso de Marcelo, no terreno, junto das vítimas, e não na torre de marfim de Belém, marca o tal "novo ciclo" que o Presidente há muito tinha anunciado, com data marcada: depois das autárquicas.

    Pedro Cruz

  • "O primeiro-ministro falhou em toda a linha"
    4:36

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares não acredita que a ministra da Administração Interna se despediu: "ela foi demitida pela Presidente ontem à noite publicamente". No Jornal da Noite, esta quarta-feira, o comentador da SIC declarou que o primeiro-ministro "falhou em toda a linha" e questionou se António Costa tinha a "coragem política de fazer o que é preciso". Sobre os incêndios, Miguel Sousa Tavares disse ainda que o maior problema não era haver reacendimentos, mas sim "não serem logo apagados e propagarem-se".

    Miguel Sousa Tavares

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07
  • Leiria perdeu 80% do Pinhal nos incêndios
    1:51
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51
  • "O povo exige um novo ciclo"
    1:10

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exige que o primeiro-ministro faça um pedido de desculpas público às famílias das vítimas dos incêndios. A Presidente da Associação pede ainda a demissão do comando da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Após a reunião desta quarta-feira com António Costa, Nádia Piazza anunciou que o Governo assume as mortes de junho passado e chegou a acordo com os familiares das vítimas.

  • Há um novo livro de Astérix

    Astérix

    Dois anos depois do último álbum, chega hoje às livrarias a 37ª aventura de Astérix. Em "Astérix e a Transitálica", os gauleses rumam à Península Itálica.