sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

UE admite operação militar no Mediterrâneo contra traficantes de imigrantes

Os chefes de Estado e de governo da União Europeia vão solicitar na quinta-feira o início dos preparativos para uma operação militar destinada a destruir as embarcações dos traficantes de imigrantes, refere o projeto da resolução. 

Reuters Arquivo

Reuters Arquivo

© Handout . / Reuters

O projeto em discussão, divulgado pelas agências internacionais, solicita aos líderes europeus que desenvolvam "esforços sistemáticos para identificar, capturar e destruir as embarcações antes que sejam utilizadas pelos traficantes" no Mediterrâneo. 

A Alta representante para a política externa e de segurança da União, Federica Mogherini, "é convidada para iniciar de imediato os preparativos para uma eventual operação de segurança e defesa para este efeito, de acordo com a lei internacional", acrescenta o projeto de resolução. 

As primeiras consultas sobre esta proposta demonstram "uma vontade política de emitir este forte sinal", disse à Agência France Press uma fonte próxima do dossiê. 

"Não podemos ser sérios caso não tenhamos em consideração o pedido de Mateo Renzi", afirmou um alto responsável europeu. O chefe do governo italiano solicitou que fosse examinada a possibilidade de efetuar "intervenções precisas" contra os traficantes na Líbia, que se tornou no país de embarque de migrantes e candidatos a asilo em direção a Itália e Malta. 

Caso seja aceite, a organização desta operação militar europeia seria uma decisão inédita no combate à imigração clandestina. 

"A sua concretização levará tempo", advertiram diplomatas envolvidos nas conversações. "Vão ser necessários planos operacionais, e depois mobilizar os meios militares", explicaram. 

Atalante, a missão militar da UE contra a pirataria ao largo das costas somalis, foi desencadeada em 2008, mas as primeiras ações contra as embarcações piratas ocorreram em 2011-2012, recordou o eurodeputado francês Arnaud Danjean. 

"Para destruir as embarcações na Líbia será necessário um mandato jurídico" das Nações Unidas, sublinhou. "A possibilidade de ação em terra fornecida à força naval Atalante na Somália quase nunca foi utilizada, porque não é tão simples", explicou. 

O apelo para novas medidas e a pressão sobre os líderes europeus aumentou após o devastador naufrágio no domingo que terá provocado a morte de cerca de 800 imigrantes provenientes da Líbia. 

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.