sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

União Europeia tem responsabilidade especial perante crise dos imigrantes no Mediterrâneo

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, defendeu hoje que a União Europeia tem o dever de agir perante o fluxo de imigrantes que atravessam o Mediterrâneo, após naufrágios que fizeram centenas de vítimas. 

© Francois Lenoir / Reuters

Enquanto europeus "temos uma responsabilidade especial de tentar impedir esses dramas e enfrentar esta crise", disse a diplomata italiana à margem de um encontro com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, em Washington.

Desde o início deste ano, morreram mais de 1.750 imigrantes ao tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar à Europa, um número 30 vezes superior ao registado no mesmo período de 2014.

A União Europeia (UE), os Estados Unidos e a União Africana (UA) poderiam trabalhar em conjunto "para salvar as vidas de gente desesperada que procura um futuro melhor, para lutar contra o tráfico de seres humanos e contra aqueles que levam estas pessoas a atravessar o Mediterrâneo", sustentou.

Mogherini deslocou-se na segunda-feira, juntamente com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, a um navio ao largo da costa italiana, em "sinal de solidariedade" com os migrantes, uma semana após o naufrágio de um barco que transportava centenas de pessoas e que fez mais de 800 mortos.

O principal obstáculo com que os europeus se confrontam é o caos que reina na Líbia, de onde partem muitos destes migrantes. A França e o Reino Unido preparam-se para pedir ao Conselho de Segurança da ONU uma resolução que lhes permita atuar em águas líbias.

"Estamos a trabalhar em conjunto em relação à Líbia, que se encontra num momento crítico em que a diplomacia está posta em causa", declarou, por sua vez, John Kerry.

Reunidos na quinta-feira passada numa cimeira extraordinária em Bruxelas, os dirigentes da UE acordaram triplicar o orçamento da sua operação Tritão, de vigilância e assistência no Mediterrâneo.

Todos os dias, várias centenas de imigrantes, sobretudo africanos mas também muitos sírios, chegam à costa italiana depois de terem sido socorridos pela marinha ou pela guarda-costeira italianas.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.