sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 5 mil pessoas resgatadas no Mediterrâneo desde sexta-feira

Mais de cinco mil pessoas foram resgatadas no mar Mediterrâneo desde sexta-feira, um número sem precedentes este ano, segundo informou a Agência de Controlo de Fronteiras Exteriores (Frontex) da União Europeia. 

© Antonio Parrinello / Reuters

A Frontex, em comunicado, explica que as operações de resgate foram levadas a cabo por navios britânicos, malteses, belgas e italianos apoiados por aviões da Islândia e da Finlândia, enquadrados na operação Triton e coordenados pela agência.

"Foi a 'maior onda' de imigrantes de 2015", sublinhou o diretor executivo do organismo, Fabrice Leggeri.

O mesmo responsável afirmou que foram salvas "centenas de vidas" e que a operação teve como objetivo prestar assistência às pessoas que se encontravam em embarcações em muito mau estado e que tinham zarpado da costa da Líbia.

O Frontex regista que foram encontrados 17 mortos entre os grupos de imigrantes desde sexta-feira e que, neste momento, decorrem ainda cinco operações para o resgate de cerca de 500 pessoas.

O destino dos imigrantes resgatados são os portos do sul de Itália, onde chegaram desde o princípio do ano mais de 36 mil pessoas que cruzaram o Mediterrâneo em busca de uma nova vida no continente europeu.


Lusa
  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.