sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 200 migrantes resgatados na ilha grega de Kos

Pelo menos 212 indocumentados foram resgatados hoje pela guarda costeira grega na ilha de Kos, no mar Egeu, afetada por uma grave crise migratória e onde todos os dias chegam centenas de imigrantes e refugiados.

© Yannis Behrakis / Reuters

Em comunicado, os guardas costeiros gregos informam ter resgatado os ocupantes de quatro embarcações pneumáticas e de uma lancha rápida à primeira hora de hoje, quando foram avistados.

Após transportados para o porto de Kos, os migrantes foram detidos por não possuírem documentação legal, acrescenta o documento.

Nas últimas semanas, as autoridades de Kos e de outras ilhas do mar Egeu, como Lesbos, Chios e Samos, encontram-se sobrelotadas de migrantes devido ao grande aumento da chegada de embarcações.

Nos últimos dias, sobretudo em Kos, registaram-se confrontos entre refugiados e autoridades policiais na sequência de queixas dos migrantes devido às más condições de alojamento e à falta de comida fornecida às pessoas que aguardavam, amontoadas num estádio de futebol lotado, pelos documentos que lhes permitissem abandonar a Grécia.

A maioria dos refugiados pretende chegar à Grécia continental para daí viajar para o centro ou norte da Europa.

Para alojar as pessoas que se encontram em Kos, o Governo helénico enviou o ferry "Eleftheros Venizelos", com capacidade até 2.500 pessoas, prevendo-se que hoje à noite os refugiados provenientes da Síria aí possam pernoitar.

Segundo a agência de noticias grega AMNA, a embarcação só albergará os refugiados sírios, alguns membros de organizações não-governamentais que os assistem e os agentes da polícia.

Na quinta e na sexta-feira, perto de 1.100 migrantes e refugiados chegaram por dia ao porto de Pireo, em Atenas, esperando-se que aumente para 1.300 a partir de hoje, de modo a que no domingo tenham saído de Kos perto de 3.000 pessoas.

Os dados apresentados na semana passada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) indicam que nos primeiros sete meses de 2015 terão desembarcado na Grécia 124.000 refugiados e indocumentados, sobretudo nas ilhas de Kos, Lesbos, Chios, Samos e Lweros.

Só em julho último chegaram à Grécia 50.000 pessoas (mais 20.000 que em junho) provenientes da Síria, Afeganistão, Iraque e Eritreia, entre outros países, um número superior ao total de migrantes entrados em todo o ano de 2014.

Entre 1 de janeiro e 31 de julho último, os desembarques na Grécia aumentaram 750% face ao verificado no mesmo período de 2014.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.