sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 200 migrantes resgatados na ilha grega de Kos

Pelo menos 212 indocumentados foram resgatados hoje pela guarda costeira grega na ilha de Kos, no mar Egeu, afetada por uma grave crise migratória e onde todos os dias chegam centenas de imigrantes e refugiados.

© Yannis Behrakis / Reuters

Em comunicado, os guardas costeiros gregos informam ter resgatado os ocupantes de quatro embarcações pneumáticas e de uma lancha rápida à primeira hora de hoje, quando foram avistados.

Após transportados para o porto de Kos, os migrantes foram detidos por não possuírem documentação legal, acrescenta o documento.

Nas últimas semanas, as autoridades de Kos e de outras ilhas do mar Egeu, como Lesbos, Chios e Samos, encontram-se sobrelotadas de migrantes devido ao grande aumento da chegada de embarcações.

Nos últimos dias, sobretudo em Kos, registaram-se confrontos entre refugiados e autoridades policiais na sequência de queixas dos migrantes devido às más condições de alojamento e à falta de comida fornecida às pessoas que aguardavam, amontoadas num estádio de futebol lotado, pelos documentos que lhes permitissem abandonar a Grécia.

A maioria dos refugiados pretende chegar à Grécia continental para daí viajar para o centro ou norte da Europa.

Para alojar as pessoas que se encontram em Kos, o Governo helénico enviou o ferry "Eleftheros Venizelos", com capacidade até 2.500 pessoas, prevendo-se que hoje à noite os refugiados provenientes da Síria aí possam pernoitar.

Segundo a agência de noticias grega AMNA, a embarcação só albergará os refugiados sírios, alguns membros de organizações não-governamentais que os assistem e os agentes da polícia.

Na quinta e na sexta-feira, perto de 1.100 migrantes e refugiados chegaram por dia ao porto de Pireo, em Atenas, esperando-se que aumente para 1.300 a partir de hoje, de modo a que no domingo tenham saído de Kos perto de 3.000 pessoas.

Os dados apresentados na semana passada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) indicam que nos primeiros sete meses de 2015 terão desembarcado na Grécia 124.000 refugiados e indocumentados, sobretudo nas ilhas de Kos, Lesbos, Chios, Samos e Lweros.

Só em julho último chegaram à Grécia 50.000 pessoas (mais 20.000 que em junho) provenientes da Síria, Afeganistão, Iraque e Eritreia, entre outros países, um número superior ao total de migrantes entrados em todo o ano de 2014.

Entre 1 de janeiro e 31 de julho último, os desembarques na Grécia aumentaram 750% face ao verificado no mesmo período de 2014.

Lusa

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria" é a Reportagem Especial de hoje.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.