sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Macedónia vai deixar entrar número limitado de migrantes "vulneráveis"

O Governo da Macedónia anunciou hoje que vai permitir a entrada no país de um número limitado de migrantes considerados vulneráveis, depois de ter fechado a fronteira com a Grécia, junto à qual estão concentrados milhares de refugiados.

© Alexandros Avramidis / Reuter

"Um número limitado de migrantes ilegais de categorias vulneráveis está autorizado a entrar na Macedónia e a receber ajuda em conformidade com a capacidade do Estado", afirmou o Ministério do Interior num comunicado.

O texto não precisa quais são as categorias vulneráveis.

Nas últimas 24 horas, segundo o texto, a polícia emitiu documentos de trânsito temporários para 181 migrantes, maioritariamente da Síria, Bangladesh e Paquistão, que pretendem atravessar o território macedónio e seguir para o norte da Europa.

Antes de decretar o estado de emergência na fronteira sul, na quinta-feira, a Macedónia estava a emitir uma média de 1.300 documentos de trânsito temporários por dia, acrescentou.

Desde 19 de junho, mais de 41.000 migrantes atravessaram a fronteira com a Grécia, segundo a polícia.

Cerca de 3.000 pessoas, na maioria refugiados sírios, estão retidas do outro lado da fronteira, perto da aldeia grega de Edomeni, desde que o governo macedónio enviou tropas para a zona para controlar o afluxo de migrantes provenientes da Grécia.

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.