sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Dezenas de migrantes encontrados mortos dentro de camião na Áustria

EM ATUALIZAÇÃO

Entre 20 a 50 pessoas foram encontradas mortas hoje no interior de um camião, estacionado numa área de serviço de uma autoestrada no leste da Áustria. De acordo com o Ministério do Interior austríaco, são refugiados que terão morrido sufocados, por não haver oxigénio suficiente dentro do atrelado.

HANS PUNZ

Os corpos foram encontrados num camião na autoestrada A4, entre o lago Neusiedl e a localidade de Parndorf, no estado federado de Burgenland, na fronteira com a Hungria.

Um porta-voz da polícia disse em conferência de imprensa que ainda não é conhecido o número ecato de vítimas. "Podemos presumir que foram 20 as pessoas que morreram. Mas também podem ser 40 ou 50, disse".

A polícia lançou uma operação para encontrar o motorista do veículo, estacionado durante várias horas na berma da autoestrada.

A ministra do Interior austríaca, Johanna Mikl-Leitner, afirmou numa conferência de imprensa na cidade de Eisenstadt que "os traficantes de pessoas são criminosos" e prometeu que tudo será feito para encontrar os responsáveis.

Dezenas de milhares de refugiados das guerras no Médio Oriente, sobretudo sírios e iraquianos, além de afegãos, cruzaram os Balcãs nas últimas semanas tentando chegar à Europa Ocidental.

A Hungria, que tem fronteira com a Sérvia, é o primeiro país da zona Schengen, de livre circulação comunitária, a partir do qual os refugiados tentam chegar a outros países, sobretudo Alemanha e Suécia.

A Áustria acolhe hoje uma cimeira regional dos Balcãs, centrada na crise dos refugiados, na qual participam, entre outros líderes, a chanceler alemã, Angela Merkel.

Com Lusa

EM ATUALIZAÇÃO

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite