sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Comboio com refugiados parte da Hungria rumo à Áustria

GALERIA DE FOTOS

Um comboio com 200 a 300 migrantes a bordo partiu hoje da principal estação ferroviária de Budapeste com destino à fronteira com a Áustria. Esta manhã, várias centenas de refugiados entraram na estação ferroviária de Keleti, em Budapeste, depois de a polícia húngara ter desbloqueado a entrada principal.

© Bernadett Szabo / Reuters

© Bernadett Szabo / Reuters

© Leonhard Foeger / Reuters

© Leonhard Foeger / Reuters

© Laszlo Balogh / Reuters

© Laszlo Balogh / Reuters

© Bernadett Szabo / Reuters

© Laszlo Balogh / Reuters

O comboio, que partiu da gare Keleti às 11:18 locais (10:18 em Lisboa), divide-se a meio caminho em duas composições - uma com destino vai para Szombathely e outra a Sopron, duas cidades fronteiriças do noroeste da Hungria.

"O importante é sair de Budapeste. Depois irei a pé ou de qualquer outra maneira para a Áustria", disse um dos jovens que conseguiu embarcar, Gaser, à agência EFE.

Estação de Keleti reaberta

A gare foi reaberta hoje, depois de ter estado fechada pelas autoridades durante dois dias. Segundo o relato de um jornalista da agência francesa France Press, a entrada principal foi reaberta pelas 08:15 (06:15 GMT) e centenas de migrantes invadiram aquela estrutura em direção a um comboio que está numa das plataformas.

Desde terça-feira transata que as forças de segurança húngara estavam a bloquear a entrada da estação ferroviária, onde mais de dois refugiados aguardam acampados nas redondezas com o objetivo de poder partir de comboio rumo ao oeste da Europa.

Assim que a polícia de segurança desbloqueou esta manhã a entrada principal da estação Keleti, os refugiados lançaram o caos empurrando-se para tentar entrar no comboio que supostamente os levaria à Áustria e Alemanha

A Hungria é um ponto de chegada chave para dezenas de milhares de migrantes que entram na União Europeia. Em agosto entraram cerca de 50.000 naquele país.

Na segunda-feira passada, a Hungria permitiu que vários milhares de migrantes embarcassem nos comboios com destino a Áustria e a Alemanha, mas no dia seguinte, a estação Keleti foi fechada a ninguém sem um passaporte da União Europeia ou de um visto válido pode viajar.

A polícia austríaca estimou, na terça-feira, que mais de 3.650 imigrantes passaram na segunda-feira pela estação Oeste de Viena (Westbahnhof) a caminho da Alemanha.

A maioria dos migrantes não querem ficar na Hungria, mas sim seguir para países mais ricos da Europa, como Áustria ou Alemanha.

A Hungria, que faz parte do espaço de livre-trânsito comunitário Schengen, referiu que desde o início do ano chegaram mais de 15.000 imigrantes ao seu território.

Com Lusa

  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01
  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11
  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.