sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Migrantes encontrados em camião na Áustria morreram asfixiados rapidamente

Os 71 migrantes encontrados mortos num camião refrigerado numa autoestrada austríaca em finais de agosto morreram provavelmente por asfixia "em muito pouco tempo" após a partida do veículo, anunciou esta sexta-feira a polícia austríaca.

O camião foi encontrado abandonado no dia 27 de agosto, ao final da manhã, na berma de uma autoestrada perto de Parndorf, não muito longe da fronteira com a Hungria. (Arquivo)

O camião foi encontrado abandonado no dia 27 de agosto, ao final da manhã, na berma de uma autoestrada perto de Parndorf, não muito longe da fronteira com a Hungria. (Arquivo)

© Pascal Rossignol / Reuters

"Tendo em conta o número de pessoas e o volume de ar disponível, a morte provavelmente ocorreu em muito pouco tempo", depois do grupo ter entrado no interior do camião, disse o responsável pela investigação, Hans Peter Doskozil, com base nos primeiros resultados da autópsia.

Nenhuma vítima -- 59 homens, oito mulheres e quatro crianças -- foi formalmente identificada nesta fase, mas os dados recolhidos no decorrer da investigação sugerem que os migrantes sejam sírios, iraquianos e afegãos, segundo acrescentou Hans Peter Doskozil, numa conferência de imprensa em Eisenstadt, no leste da Áustria.

O camião foi encontrado abandonado no dia 27 de agosto, ao final da manhã, na berma de uma autoestrada perto de Parndorf, não muito longe da fronteira com a Hungria.

A descoberta dos 71 corpos no interior do veículo em avançado estado de decomposição chocou toda a Europa.

Segundo a investigação, os migrantes terão entrado no camião na madrugada do dia 26 de agosto na fronteira servo-húngara, ou seja, a morte terá ocorrido cerca de 24 horas antes da macabra descoberta.

Hans Peter Doskozil precisou que o camião refrigerado de transporte de carne de frango estava "hermeticamente selado", acrescentando que a análise dos vestígios de ADN encontrados na cabine do veículo confirmou o envolvimento de cinco suspeitos -- quatro búlgaros e um afegão -- que foram entretanto detidos na Hungria.

Três outros suspeitos foram hoje indiciados pela justiça búlgara por "participação em grupo criminoso organizado".

Entre estes suspeitos está Tsvetan Georgiev Tsvetanov, de 32 anos, considerado pelos investigadores búlgaros como o presumível condutor do camião. O suspeito aguarda a extradição para a Áustria.

Durante uma audiência na quinta-feira, Tsvetanov (detido na segunda-feira num bairro no noroeste da Bulgária) declarou que não sabia que transportava pessoas.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.