sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Pai da criança afogada numa praia da Turquia chegou à cidade natal

O pai da criança síria de três anos que apareceu quarta-feira morta numa praia da Turquia e cuja imagem chocou o mundo chegou hoje à sua cidade natal de Kobane para enterrar a família, revelou um fotógrafo da agência France Presse (AFP).

© Murad Sezer / Reuters

Abdullah Kurdi chegou à cidade fronteiriça turca de Suruc, cidade dizimada pelo denominado Estado islâmico, com os caixões dos dois filhos, o pequeno Aylan, de três anos, e Galip, o seu irmão de cinco anos, e da mãe das crianças, todos mortos por afogamento enquanto tentavam fugir para a Turquia e com destino ao Canadá.

Segundo a AFP, um longo cortejo acompanhou o pai das duas crianças afogadas desde a estância balnear de Bodrum, a praia da Turquia onde apareceram os corpos, até a fronteira com a Síria.

Em Kobane, um fotógrafo da agência de notícias francesa contou que Abdullah Kurdi estava ainda em choque com a tragédia que sucedeu à sua família e que abalou o mundo.

Os preparativos estavam em andamento na cidade para enterrar os elementos da família como mártires, porque eles "pagaram com suas vidas para escapar da guerra", de acordo com autoridades locais citadas pela AFP.

O pai de Aylan disse na quinta-feira que, além dos seus dois filhos e da mulher, tinham morrido também outros nove refugiados sírios no naufrágio do seu barco durante a noite ao tentarem chegar à ilha grega de Kos, porta de entrada para a União Europeia.

"Eu segurei a mão de minha esposa, mas os meus filhos escorregaram-me das minhas mãos", disse o pai quinta-feira a agência de notícias turca Dogan.

O corpo do pequeno Aylan, de três anos, foi descoberto na quarta-feira de manhã deitado na praia em Bodrum, uma estância da Riviera turca e conhecida internacionalmente, com a cara contra a areia.

Após o naufrágio que matou a família Kurdi, a polícia turca prendeu na quinta-feira quatro traficantes, todos de nacionalidade síria.

Lusa

  • A morte da Europa

    António José Teixeira

    O naufrágio da humanidade espelhado naquele corpo de criança que deu à costa, como se fosse um detrito, arrepia. Mas não suficientemente. Um polícia recolheu-a nos braços como se a fosse embalar. Curvado, aquela criança pesou decerto na sua e em muitas consciências. Mas não suficientemente. Aquela criança fugia com outras crianças da Síria, passara pela Turquia rumo à Grécia. Corriam do inferno sírio, da barbárie à solta e da fome. Ninguém as viu e ouviu. Ninguém quis saber. Ninguém se importou. É duro olhar para aqueles corpos estendidos, inertes. Mas não suficientemente.

  • Família de Aylan tentava recomeçar a vida no Canadá
    2:03

    Crise Migratória na Europa

    Uma imagem chocante percorreu o mundo e é hoje o símbolo do naufrágio da humanidade. Aylan Kurdi, uma criança síria, de 3 anos, inerte, sem vida, atirada pelo mar para uma praia da Turquia, após um naufrágio no Mar Egeu. Uma imagem que representa também o fim do sonho para uma família que tentava chegar ao Canadá, para recomeçar a vida. A mãe e os dois filhos, de 3 e 5 anos, morreram. Apenas o pai sobreviveu.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.