sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Ban Ki-moon pede aos líderes europeus para responder aos refugiados

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje aos líderes europeus para agirem de forma responsável e humana com os refugiados que chegam às suas fronteiras, convidando-os para uma reunião sobre a migração no final deste mês.

© Afolabi Sotunde / Reuters

Ban Ki-moon esteve em contacto com os responsáveis máximos de sete governos europeus ao longo dos últimos dias devido à onda de refugiados da Síria, Iraque e outros países onde o denominador comum é a guerra, afirmou o porta-voz Stephane Dujarric.

Segundo a fonte, nessas conversas, Ban Ki-moon sublinhou que "a grande maioria das pessoas que chegam à Europa são refugiados que fogem à guerra e à violência e que têm o direito de requerer asilo, sem qualquer forma de discriminação".

Stephane Dujarric afirmou que o secretário-geral das Nações Unidas também "aplaudiu os exemplos inspiradores que foram exibidos em toda a Europa por cidadãos e a sociedade civil".

No entanto, Ban Ki-moon sublinhou que os esforços devem continuar: "O secretário-geral apelou aos líderes europeus para serem a voz daqueles que necessitam de proteção e de encontrar rapidamente uma abordagem conjunta para resolver as suas necessidades básicas", frisou Dujarric.

Ban Ki-moon convidou os líderes para uma reunião de alto nível sobre migração a 30 de setembro em Nova Iorque à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas anual, onde são esperados cerca de 150 chefes de Estado a participar.

Stephane Dujarric não especificou quais os líderes que tinham sido convidados, ou outros detalhes sobre a reunião, mas acrescentou que as conversas do secretário-geral foram com a Áustria, República Checa, Alemanha, Grécia, Hungria, Polónia e Eslováquia.

Segundo o porta-voz, o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, foi sincero na sua oposição ao acolhimento dos migrantes para o seu país ou da Europa em geral.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.