sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Estado Islâmico adverte refugiados de que fugir para a Europa é "um pecado grave"

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) afirmou que os sírios que fogem para a Europa estão a cometer "um pecado grave" porque "essas terras dos cruzados regem as leis do ateísmo e da indecência", foi hoje divulgado.

Petros Giannakouris

Na edição de setembro da revista do grupo radical sunita, com o título Dabiq, os 'jihadistas' criticaram os sírios e os líbios que "arriscam as próprias vidas e as próprias almas" e que abandonam "voluntariamente a pátria do Islão pela terra dos infiéis".

O EI referiu igualmente que as crianças na Europa e nos Estados Unidos estão sob "a constante ameaça do sexo, da sodomia, das drogas e do álcool".

O grupo extremista reforçou que, mesmo que não caiam em pecado, é provável que as pessoas esqueçam a voz do Alcorão, o árabe, situação que "torna o regresso à religião [islamismo] e aos ensinamentos mais difícil".

O EI mostrou-se particularmente duro para aqueles que fogem do "califado", proclamado pelos 'jihadistas' em finais de junho de 2014 nos vastos territórios que controlam na Síria e no Iraque, garantindo, no entanto, que a maioria das famílias estão a fugir de zonas controladas pelo regime sírio ou pelas forças curdas.

Centenas de milhares de pessoas têm fugido dos conflitos que afetam o Médio Oriente e da repressão do EI, especialmente na Síria, para procurar um refúgio seguro na Europa.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) informou esta semana que mais de 2.760 migrantes morreram este ano quando tentaram fazer a travessia do mar Mediterrâneo.

Ainda na edição de setembro da revista digital em inglês, os 'jihadistas' mostraram novas fotografias da destruição de dois templos da antiga cidade síria de Palmira, classificada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) como Património Mundial da Humanidade em 1980.

A publicação 'jihadista' também publicou as fotografias de dois reféns, o norueguês Ole Johan Grimsgaard-Ofstad e o chinês Fan Jinghui. Nas imagens, os dois reféns aparecem com cartazes com uma frase em inglês: "Prisioneiro à venda".

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46