sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Federação suíça vai doar 455 euros por cada golo marcado em auxílio aos refugiados

A Federação Suíça de Futebol (SFL) anunciou hoje que vai doar 500 francos suíços (455 euros) por cada golo marcado na jornada do campeonato no fim de semana, em auxílio aos refugiados.

© Heinz-Peter Bader / Reuters

"Na última época cerca de 50 países estavam representados no campeonato suíço de futebol (SFL). Os clubes sabem diariamente o verdadeiro significado do que é a integração e a solidariedade", justificou o presidente da SFL, Heinrich Schifferle.

A verba de 500 francos contempla cada golo marcado em jogos da primeira e segunda divisão, especifica a SFL em comunicado e será doado à fundação suíça de solidariedade 'Chaîne du Bonheur'.

Na última jornada marcaram-se 13 golos na divisão principal e 16 na segunda.

Nesta ronda os adeptos que se desloquem aos estádios serão também convidados a fazerem donativos àquela fundação.

A iniciativa da SFL junta-se a inúmeras outras no mundo de futebol, entre as quais uma proposta pelo FC Porto, para que os clubes doassem um euro por bilhete vendido no primeiro jogo 'caseiro' da Liga dos Campeões para ajudar refugiados.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.