sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Hungria pede ativação de mecanismo europeu de proteção civil

A Hungria pediu hoje à Comissão Europeia a ativação do mecanismo de proteção civil de modo a poder começar a receber ajuda de outros Estados-membros para lidar com o fluxo migratório no país.

Csaba Krizsan

"A Hungria solicitou hoje a ativação do mecanismo de proteção civil para poder pedir ajuda", disse uma porta-voz do executivo comunitário, Mina Andreeva.

A porta-voz explicou, na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia, que o Governo húngaro pediu colchões, roupa de cama, almofadas, cobertores e aquecedores.

A Hungria tornou-se recentemente no terceiro país da chamada da linha da frente, estando a braços com vagas de refugiados que tentam entrar no espaço comunitário.

O primeiro-ministro, Viktor Orbán, pediu a Bruxelas uma verba de oito milhões de euros para aumentar as instalações de acolhimento e que deverá ser entregue rapidamente.

A Hungria e a Macedónia registaram hoje um novo recorde de entrada de refugiados desde o início da crise migratória, tendo as autoridades húngaras mobilizado 3.800 soldados para reforçar a vedação anti-imigração na fronteira com a Sérvia.

O responsável pela comunicação do Alto-Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), Alexandra Krause, indicou que "cerca de 7.600 migrantes, incluindo da Síria, entraram na Macedónia", enquanto a polícia húngara anunciou a entrada de 3.601 pessoas nas últimas 24 horas.

"Temos informações de nossos colegas gregos em como mais imigrantes continuam a chegar em autocarros" à fronteira com a Macedónia, disse Alexandra Krause, após confirmar a chegada de 7.600 migrantes entre quinta-feira e sexta-feira.

Lusa

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.