sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia envia polícias para fronteira com Hungria

O governo sérvio protestou hoje oficialmente contra o lançamento pela Hungria de "gás lacrimogéneo para o seu território" contra os refugiados e anunciou o envio de reforços policiais para a fronteira comum.

© Marko Djurica / Reuters

"Decidi enviar reforços policiais" para a passagem fronteiriça para evitar novos confrontos entre os refugiados e a polícia húngara, anunciou o ministro do Interior, Nebojsa Stefanovic, em comunicado.

A polícia húngara usou gás lacrimogéneo contra dezenas de refugiados que forçaram as barreiras na fronteira servo-húngara para procurar entrar na Hungria através da passagem fronteiriça de Horgos-Roszke.

O governo húngaro indicou que dos confrontos resultaram ferimentos em 14 polícias.

A televisão nacional sérvia RTS noticiou que também houve vários refugiados feridos. Uma equipa de jornalistas desta estação televisiva foi agredida pela polícia húngara e viu o seu material destruído, apesar de se terem identificado como jornalistas.

O primeiro-ministro sérvio, Aleksander Vucic, condenou "este comportamento brutal da polícia" contra os refugiados e os jornalistas e exigiu uma reação vigorosa da parte da União Europeia (UE), quando questionado pela RTS.

"Estas torturas e este comportamento não-europeu devem cessar. E se a UE não pode participar, se não quer reagir, nós vamos reagir e saberemos como nos proteger, bem como os valores europeus que a Europa não é capaz de proteger", acrescentou Vucic.

Antes, o ministro sérvio com o pelouro dos refugiados, Aleksandar Vulin, qualificou como "inaceitável" a utilização de canhões de água e gás lacrimogéneo contra os refugiados.

"Protestei firmemente porque os canhões de água e o gás lacrimogéneo foram utilizados contra estas pessoas e porque isso aconteceu no nosso território", disse, em declarações na RTS.

A água e o gás lacrimogéneo "foram lançados por cima da fronteira e eles não tinham o direito de proceder assim", afirmou Vulin.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.