sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia envia polícias para fronteira com Hungria

O governo sérvio protestou hoje oficialmente contra o lançamento pela Hungria de "gás lacrimogéneo para o seu território" contra os refugiados e anunciou o envio de reforços policiais para a fronteira comum.

© Marko Djurica / Reuters

"Decidi enviar reforços policiais" para a passagem fronteiriça para evitar novos confrontos entre os refugiados e a polícia húngara, anunciou o ministro do Interior, Nebojsa Stefanovic, em comunicado.

A polícia húngara usou gás lacrimogéneo contra dezenas de refugiados que forçaram as barreiras na fronteira servo-húngara para procurar entrar na Hungria através da passagem fronteiriça de Horgos-Roszke.

O governo húngaro indicou que dos confrontos resultaram ferimentos em 14 polícias.

A televisão nacional sérvia RTS noticiou que também houve vários refugiados feridos. Uma equipa de jornalistas desta estação televisiva foi agredida pela polícia húngara e viu o seu material destruído, apesar de se terem identificado como jornalistas.

O primeiro-ministro sérvio, Aleksander Vucic, condenou "este comportamento brutal da polícia" contra os refugiados e os jornalistas e exigiu uma reação vigorosa da parte da União Europeia (UE), quando questionado pela RTS.

"Estas torturas e este comportamento não-europeu devem cessar. E se a UE não pode participar, se não quer reagir, nós vamos reagir e saberemos como nos proteger, bem como os valores europeus que a Europa não é capaz de proteger", acrescentou Vucic.

Antes, o ministro sérvio com o pelouro dos refugiados, Aleksandar Vulin, qualificou como "inaceitável" a utilização de canhões de água e gás lacrimogéneo contra os refugiados.

"Protestei firmemente porque os canhões de água e o gás lacrimogéneo foram utilizados contra estas pessoas e porque isso aconteceu no nosso território", disse, em declarações na RTS.

A água e o gás lacrimogéneo "foram lançados por cima da fronteira e eles não tinham o direito de proceder assim", afirmou Vulin.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.