sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 5.600 refugiados entraram na Croácia nas últimas 24 horas

Mais de 5.600 refugiados entraram na Croácia nas últimas 24 horas, o novo ponto de fuga dos que evitam o bloqueio húngaro. As autoridades croatas consideram avançar com novas medidas face ao aumento do número de migrantes, mas não explicam quais.

Os refugiados têm sido transportados para centros de acolhimento perto de Zagreb. Na Alemanha, o número de entradas no país mais que duplicou ontem, ultrapassando já os 7 mil.

Esta manhã, na fronteira entre a Sérvia e a Hungria, a situação está mais calma que a verificada ontem, depois dos confrontos entre refugiados e polícia húngara. O secretário-geral das Nações Unidas diz estar "chocado" com a violência registada na fronteira.

  • Croácia é o novo destino dos milhares de refugiados a quem a Hungria fechou fronteiras

    Mundo

    Por decisão do governo nacionalista húngaro, ninguém passa a fronteira sem documentos desde segunda-feira à noite. Os refugiados que vêm do sul tentam agora contornar o muro de arame farpado entrando pela Croácia, o mais recente país da União Europeia. Tentam depois seguir pela Eslovénia e pela Áustria até chegarem à Alemanha. O governo croata anunciou já um plano de emergência para receber esta vaga de refugiados.

  • Refugiados tentam entrar na Europa pela Croácia
    2:32

    Crise Migratória na Europa

    É um ambiente explosivo, o que se vive na fronteira da Sérvia com a Hungria. A tensão crescente deu hoje origem a protestos que resultaram numa batalha campal, com a polícia a responder com canhões de água e gás lacrimogéneo. Muitos refugiados tentam agora outras entradas na Europa e uma das opções é pela Croácia, por um território que ainda não foi totalmente desminado, depois da guerra dos balcãs.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".