sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Bulgária diz ter condições para receber mais 1.200 refugiados

A Bulgária tem condições para receber até mais 1.200 refugiados do Médio Oriente no âmbito de um sistema europeu de quotas de distribuição, declarou hoje o primeiro-ministro do país balcânico, Boiko Borisov.

Valentina Petrova

Assim, a Bulgária demonstraria "solidariedade com o problema dos imigrantes que a Europa atualmente enfrenta", referiu em declarações aos media.

Segundo os dados da Agência estatal para os refugiados da Bulgária, desde janeiro quase 10 mil pessoas pediram asilo no país e que prevê-se que até ao final de 2015 cheguem ainda mais 3.000 migrantes.

Os requerentes de asilo da Bulgária provêm na sua maioria da Síria e Iraque.

Atualmente, nos seis centros de acolhimento na Bulgária encontram-se alojadas cerca de 4.000 pessoas.

A Bulgária aumentou nos últimos dias o estado de alerta na fronteira com a Turquia, em parte protegida por um "muro de segurança", e anunciou a detenção de numerosos traficantes de pessoas.

O parlamento búlgaro decidiu endurecer as penas pro tráfico de pessoas, com um novo máximo de dez anos de prisão e multas até 15 mil euros.

Nos próximos dias serão ainda enviados até 1.000 soldados para a fronteira com a Turquia.

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Donald Trump em Israel
    2:14
  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.