sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Hungria anuncia instalação de vedação na fronteira com Croácia

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, anunciou hoje o início da instalação de uma vedação em arame farpado na fronteira com a Croácia para se proteger dos milhares de migrantes que pretendem alcançar a Europa ocidental.

Petr David Josek

"Os trabalhos para o encerramento da fronteira começaram (...) parece que não podemos contar com ninguém", declarou Orban, numa entrevista à rádio pública depois da chegada de milhares de migrantes da vizinha Croácia, cujas autoridades consideram "estar saturada" a capacidade de acolhimento.

Ao início da tarde, Zagreb começou a encaminhar os migrantes que estão no seu território para a fronteira com a Hungria.

A vedação vai ser instalada ao longo de 41 quilómetros de terra, acrescentou o primeiro-ministro. Os restantes 330 quilómetros de fronteira entre os dois países estão delimitados pelo rio Drave, de difícil travessia.

"Seiscentos soldados estão já no local, 500 vão chegar durante o dia, e mais 700 serão enviados durante o fim de semana", explicou. Na zona, encontram-se também 200 agentes policiais, estando prevista a chegada durante o dia de mais uma centena e de mais 500 no fim de semana.

"Vai ser impossível esconder-se atrás do mais pequeno monte de terra. Defenderemos as nossas fronteiras", declarou Orban.

A Hungria, defensora de uma linha dura contra os migrantes, tinha já levantado uma barreira ao longo dos 175 quilómetros da fronteira com a Sérvia, por onde passavam a maioria dos requerentes de asilo que pretendem alcançar os países ricos do oeste ou norte da Europa.

As autoridades tinham anunciado a intenção de construir uma vedação a leste, na fronteira com a Roménia.

Mais de 200 mil migrantes, sobretudo oriundos do Médio Oriente e em fuga de zonas de guerra, passaram pela Hungria, principalmente vindos da Sérvia, desde o início do ano.

A fronteira entre a Sérvia e a Hungria está fechada desde terça-feira e milhares de pessoas procuram uma nova rota através da vizinha Croácia. Dali esperam poder continuar o trajeto pela Eslovénia, a oeste, ou pela Hungria, a norte.

A polícia húngara anunciou hoje que 453 migrantes, sobretudo sírios e afegãos, entraram ilegalmente na Hungria, a partir da Croácia, o que é passível, de acordo com a nova legislação entrada em vigor na terça-feira, de ser punido com penas de prisão.

"A rota dos Balcãs ocidentais continua a existir. O encerramento da fronteira entre a Sérvia e a Hungria não impediu novas entradas", indicou o chefe do governo ultraconservador.

Budapeste foi alvo de novas críticas internacionais depois dos violentos confrontos, na quarta-feira, na fronteira com a Sérvia. A polícia respondeu a pedras atiradas pelos migrantes com canhões de água e granadas de gás lacrimogéneo, repelindo as pessoas que tentavam entrar na Hungria.

Viktor Orban afirmou que a violência foi organizada por "um terrorista", detido pelas autoridades, e que um inquérito está em curso.

"Isto mostra a que ponto não se trata apenas de um problema de imigração, mas que devemos falar seriamente de ameaças e de terrorismo", disse.

Esta versão foi contestada pelo antigo primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsany, que mostrou hoje aos jornalistas um vídeo em que se veem as barreiras abertas do lado da fronteira húngara e os migrantes a avançarem aos gritos de "Obrigada Hungria", antes de serem brutalmente repelidos pela polícia.

"Acuso Viktor Orban de mentir, os migrantes atravessaram a fronteira calmamente a convite da polícia", declarou.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.