sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Suíça dispõe-se a acolher 1.500 dos 40.000 refugiados aceites na UE

A Suíça disponibilizou-se hoje para receber nos próximos dois anos 1.500 dos 40.000 refugiados que a União Europeia decidiu em junho repartir pelos países membros.

© Arnd Wiegmann / Reuters

A Suíça não é membro da UE, mas integra o espaço europeu de livre circulação Schengen.

Segundo um comunicado do governo suíço, os 1.500 refugiados a acolher devem estar já "registados e identificados" na Grécia e Itália, principais países de entrada de migrantes na Europa.

O governo suíço justifica esta condição com o "cumprimento dos compromissos de Dublin", referindo-se às regras de acolhimento que definem que cabe ao primeiro país da UE a que chega um candidato a asilo a responsabilidade de avaliar o pedido de asilo.

A UE decidiu em junho acolher 40.000 refugiados, embora tenha rejeitado que a repartição fosse por um sistema de quotas obrigatórias.

O agravamento da crise migratória, com o número de pessoas que atravessar o Mediterrâneo desde janeiro a aproximar-se do meio milhão, levou a Comissão Europeia a propor o acolhimento de 120.000 refugiados, proposta que ainda não foi aceite pelos países membros.

Esses 1.500 refugiados que a Suíça se disponibilizou a receber serão contudo deduzidos ao contingente de 3.000 pessoas que Berna tinha decidido em março acolher, precisa o comunicado.

O Conselho Federal (governo) aprovou por outro lado desbloquear uma verba de emergência de 50 milhões de francos suíços (46 milhões de euros) para financiar operações humanitárias das organizações internacionais na Síria e nos países vizinhos.

Além dessa verba, Berna decidiu aumentar 20 milhões o orçamento humanitário de 2016.

"Esta ação é modesta, mas se todos fizessem o mesmo, podia alcançar-se uma soma importante. Lançamos um apelo à comunidade internacional para que não espere pelos orçamentos de 2016 e faça um esforço suplementar antes do fim do ano", disse em conferência de imprensa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Didier Burkhalter.

O ministro frisou que organizações humanitárias internacionais têm falta de recursos e que nomeadamente o Programa Alimentar Mundial foi obrigado a reduzir para metade as rações alimentares por falta de verbas.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.